Atenção

Fechar

TV PluraleBiblioteca de Relatórios de Sustentabilidade

Álbum de fotos

PLURALE EM REVISTA - EDIÇÃO 60 - Zóia é destaque no Bazar ético
A ZÓIA é uma marca brasileira de acessórios pessoais que alia arte e design no seu processo de criação. Com uma indentidade própria e contemporânea, a marca – que em grego signific...

Estante

Pare de dar murro em ponta de faca

Pare de dar murro em ponta de faca
Autor: Roberto Shinyashiki

plurale no twitter

plurale no facebook

estão comentando

Nelson Tucci | 09/01/2018 | 14:04 | Na notícia: PLURALE EM REVISTA, EDIÇÃO 60 - Quarta edição do "Prosa Cortante das Gerais" reúne visitantes em Santa Rita do Ouro Preto

Luciana sempre faz fotos precisas e preciosas. É como se fossem pintadas à mão. Desta vez ela juntou o texto. Simples, direta e levezinha ela foi saborosa nas palavras. Tanto quanto aquele pedaço de queijo fresco com goiabada cascão. Todos vão querer mais...

Andréa Fetzner | 03/12/2017 | 10:31 | Na notícia: Sobre Judith Butler e a narrativa do Vanish

Excelente texto. Torcendo aqui para que os que têm "medo de se transformar em mulher", ao brincar de boneca ou cuidar dos filhos, não agridam à marca... Sabe como é, onde a ignorância impera...

WAGNER GASPARI RIBEIRO | 29/11/2017 | 11:59 | Na notícia: Sobre Judith Butler e a narrativa do Vanish

Excelente abordagem. A importância do mundo corporativo e da comunicação empresarial serão um importante instrumento em relação às discussões de gênero, em especial no Brasil, onde as pessoas cerram os olhos e o pensamento na convivência com elementos que divergem de seus padrões pessoais, e que as mensagens, ainda que sutis, sempre fomentaram comportamentos novos.

Gisele Helt Velloso | 29/10/2017 | 20:20 | Na notícia: PLURALE, EDIÇÃO 59, ESPECIAL 10 ANOS - Entrevista com Paulo Artaxo

Sanções economicas e comerciais são sempre eficientes quando se fala de grandes economias. Entre os paises signatários não se fariam necessárias ja que o tratado é decorrente dos esforços e interesse desses participantes. Mas falta ao acordo um compromisso de sanções contra os países não signatários, ou ao comercio de bens e produtos poluentes ou de empresas não adequadas. Como defendido pelo professor, inimaginável acreditar que as empresas automobilísticas, por exemplo, com um mercado sem concorrencia em termos de transporte alternativo, vá fazer investimento e adaptações pata atender aos objetivos do acordo, sem que esteja sob o risco de sofrer barreiras a comercialização de seus produtos. São as industrias e produtos com maior indice de poluentes atmosféricos e continuam produzindo e comercializando livremente, inclusive entre os países signatários do acordo. Mas qual governo estaria disposto a confrontar a industria automobilística ou os países produtores de petróleo? Pelo visto, até agora, apenas a Alemanha! E porque os 100 bilhões não são empregados em pesquisa para diminuir o custo dos automóveis alternativos, não movidos a combustão? O cenário descrito pelo professor não permite mais que se jogue toda a responsabilidade pelas mudanças climáticas sobre os ombros da Amazônia e retira a intenção que se tem de fazer da floresta o quintal da casa de todo mundo com a justificativa de mitigar os problemas ou adaptar nosso pais às metas do acordo. Com politicas publicas e sanções internacionais às empresas poluentes devem ser as metas a ser estabelecidas, quem sabe, no próximo encontro.

Beto | 17/10/2017 | 20:56 | Na notícia: Seminário 10 anos de Plurale: sustentabilidade como propósito

A Jornalista Sonia Araripe sempre pautou com seriedade e conhecimento dos problemas voltados a Ecologia no Brasil, sem cair na vala comum dos modismos de quem quer aparecer na mídia! Parabéns, sucesso e continue assim !

Maria de Lourdes Borges de Campos | 07/10/2017 | 17:26 | Na notícia: Depois da tempestade

Esse futuro próximo é certo e infelizmente as pessoas ainda insistem em ficar nos grandes centros. Envelhecimento saudável com qualidade é mais provável nas cidades dos interiores . As grandes cidades estão inchadas e quem não mais produz vai perdendo seu papel, sem contar os custos deste envelhecimento que é bem mais em conta no interior. Ainda temos serviços públicos de qualidade oferecidos e mesmo os particulares com excelentes profissionais são bem mais barato se compararmos com a cidade grande. Valeria uma campanha para reverter o exodo ocorrido nestes últimos anos.

Luiz Gaulia | 13/09/2017 | 12:06 | Na notícia: A promoção da consciência ética pela arte

Como diz a letra da lei, o Estatuto da Criança e do Adolescente trata expressamente em seu artigo 4º a garantia de proteção à infância e à juventude. Ponto. Nem vou falar sobre a falta de coerência e de prudência da marca Santander nesta ação...

Sandra Pedroso | 11/09/2017 | 21:42 | Na notícia: Captando recursos

Boa leitura!

Ricardo Machado | 28/08/2017 | 16:56 | Na notícia: Mais de 3.000 pessoas em ato do Greenpeace em prol da Amazônia

Amazônia não tem preço. Tem valor #todospelaamazônia

Juliana Leite Lila | 09/07/2017 | 16:43 | Na notícia: PLURALE EM REVISTA, EDIÇÃO 57 - A influência da cultura na relação com o meio ambiente

Excelente reflexão. "Os brasileiros lidam mal com a igualdade", não há afirmativa mais correta. Em uma cultura em que as pessoas estão sempre preocupadas em se dar bem, em levar vantagem, como esperar um comportamento igualitário ou de preocupação com o bem coletivo? Mudar o comportamento de uma sociedade é o trabalho muito profundo que passa, como Liliana bem afirmou, pela educação, direito do qual nós brasileiros carecemos muito. Parabéns, pelo ótimo texto!