Atenção

Fechar

Destaques

Sesc abre espaço para exibição de novas produções de cinema

Por Isabel Capaverde, de Plurale

Segundo dados da ANCINE – Agência Nacional de Cinema o Brasil fechou 2016 com mais de três mil salas em funcionamento. Ainda assim são inúmeras as cidades que não tem sequer uma única sala de exibição. E na maioria das vezes as salas existentes são ocupadas pelos chamados blockbusters americanos ou nacionais. Ou seja, um dos grandes gargalos da produção cinematográfica brasileira é a exibição. Nesse cenário, são muito bem-vindas iniciativas como a primeira edição da Mostra Sesc de Cinema, lançada na noite de 13 de junho no Cine Odeon, no Rio de Janeiro. O Sesc está abrindo espaço em 300 de suas unidades para exibição de produções diversas de novos realizadores, fomentando o mercado audiovisual e a formação de plateias.

A peneira não foi fácil. Dos 1250 filmes inscritos na Mostra, vindo de todos os estados brasileiros entre longas e curtas, documentários e ficções, o caminho foi longo para chegar aos 34 selecionados e premiados com o licenciamento para exibição pública pelo Sesc no Brasil nos próximos dois anos. Passaram por muitas comissões de seleção e grupos de jurados, mais exibições para o público de seus estados e depois regiões.

A organização identificou temas convergentes nos filmes inscritos. Questões que refletem o momento que estamos vivendo como identidade, gênero, sexualidade, afetividade, psiquê e problemas relacionados a vida urbana como a ocupação dos espaços nas cidades e os conflitos entre seus habitantes do centro e periferias, abordados de forma crítica e usando as diferentes linguagens do cinema.

Na noite de lançamento da Mostra também ouve a premiação por categorias: melhores roteiro, direção de fotografia, desenho de som, direção de arte, direção de elenco, montagem e direção (ficção e documentário). Destaque para o paraibano ‘Ilha’, do município de Cuité. O filme, indicado em todas as categorias, ganhou em três: direção de fotografia, com Bruna de Sales, direção de elenco e direção de ficção, com Ismael Moura. O curta de ficção, um dos exibidos da noite após a cerimônia de premiação, conta a história de pai e filho que vivem isolados no sertão e em seus mundos interiores. São pouco mais de 14 minutos, sem diálogos e com interpretações contundentes de Fernando Teixeira e Walison Pereira. Na programação da noite também foram exibidos os curtas “Enzo”, de Anápolis(GO), “Ruby”, de Porto Alegre (RS), “Pedaços de Pássaros”, de Ananindeua(PA), “Levino”, de Brasília (DF), “Solon”, de Belo Horizonte (MG). Produções com qualidade, ora artística, ora técnica e que merecem a atenção do público.

A segunda edição da Mostra já está sendo preparada. As inscrições estarão abertas a partir de 1º de agosto a 1º de outubro de 2017, e poderão ser feitas pelo portal: www.sesc.com.br/mostradecinema . Vida longa à Mostra Sesc de Cinema.





Ir para lista de artigos e notícias


Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório

Verificação - digite os caracteres da imagem no campo abaixo *



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!