Atenção

Fechar

Educação

Escola ensina a refletir....e a se alimentar melhor

Por Nícia Ribas, de Plurale

Foi-se o tempo em que as crianças iam para a escola só para acumular conhecimentos, quase sempre através de decoreba. Agora os conteúdos estão à disposição de todos no Google, que veio para dar um up grade na formação do homo sapiens. E as escolas tratam de mudar seus métodos, voltando-se para a formação de pessoas capazes de refletir e buscar a tão ansiada felicidade.

Projetos como Educar para a Sustentabilidade e Viver Bem - Ações Socioambientais, realizados pela Escola Parque, Zona Sul do Rio de Janeiro, incentivam seus alunos a pensar e a ter atitudes mais conscientes enquanto habitantes do Planeta.

A alimentação saudável, por exemplo, vem sendo tratada com muita atenção pela direção da Escola, em parceria com a empresa Alimentamente. Em oficinas com os biólogos Luiza Saturnino e Onaldo Brancante, alunos do Ensino Fundamental e Médio elaboram receitas veganas, que depois são saboreadas e elogiadas. “Alimentação consciente e saudável pode e deve ser saborosa”, diz Luiza.

As oficinas constam de uma parte teórica, com conversas, dinâmicas e atividades; e outra prática em que são preparadas e consumidas as receitas veganas, utilizando alimentos orgânicos e agroecológicos. Nas conversas e interações com as crianças, o tema discutido varia de acordo com o planejamento pedagógico de cada oficina. Onaldo exemplifica: “Podemos montar um mapa mundi e indicar por setas a origem de cada alimento ao falarmos da formação do povo brasileiro (História, 5º ano Ensino Fundamental 1); Também desenhamos e fazemos colagens sobre as receitas (1º ano, Educação Infantil). Ou propomos um debate entre dois grupos, representando os interesses do agronegócio versus comunidades tradicionais (Sociologia e Geografia, 2ª série do Ensino Médio).”

As atividades atingem crianças a partir de cinco anos até adolescentes, além de funcionários, professores e famílias. A Alimentamente atua também na Escola Eleva, com turmas extracurriculares semanais. Além disso, realiza oficinas particulares e em parceria com empresas e museus, como Museu do Amanhã, Do Bem, Energisa, Redes Maré, por exemplo.

Da esquerda para a direita - Onaldo Brancante, Luiza Saturino, Bruno Maia e a Coordenadora Noemi.

Roda de Conversa

Na Roda de Conversa com pais e alunos realizada no sábado, dia 26 de maio, uma mãe logo levantou a questão da cantina: “Continuam vendendo refrigerantes, chocolates e balas industrializados?” Quem respondeu foi a jornalista e nutricionista Cyntia Howllet, que atua junto à empresa arrendatária da cantina da Escola Parque.

“A Escola aumentou a oferta de alimentos nutritivos na cantina e no refeitório. Oferecemos aos alunos e funcionários opções veganas, vegetarianas, além de outros produtos já conhecidos. Salgados sem glúten, salada de frutas, sanduíches naturais, água de coco sem conservantes, mate e bolos de fabricação própria são algumas das novidades.”

A Gastroservice, empresa da Cyntia, realiza degustações para que os alunos descubram novos sabores, que, se aprovados, serão acrescentados nos seus hábitos alimentares. O pão de queijo, sem conservante, e o açaí orgânico já estão sendo testados. E ainda serão divulgados novos “combos” com a intenção de facilitar a escolha dos produtos na hora da compra.

Na cantina, os produtos à venda são sinalizados com etiquetas nas cores verde, amarelo e vermelho. Aqueles com a cor verde são opções saudáveis e sem conservantes; os marcados com a amarela indicam a inclusão de conservantes e a vermelha são para os produtos industrializados, ricos em açúcar, gordura. A ideia é diminuir o consumo dos produtos “vermelhos” da cantina e, aos poucos, introduzir novos produtos “verdes”, além dos já ofertados.

No sábado, os pais puderam experimentar receitas feitas em casa pelos próprios alunos, como o requeijão de inhame e os biscoitos integrais de banana, que fizeram sucesso..

O tema Alimentação Consciente está integrado ao projeto pedagógico, envolvendo os segmentos, de forma transdisciplinar. Na biblioteca da Escola, por exemplo, livros que tratam de alimentação foram destacados e oferecidos aos pequenos leitores. A proposta é que eles repensem suas escolhas, mantendo sua autonomia. ”Trabalhamos com atividades na horta, produzindo alimentos, em sala de aula, preparando os alimentos e conversando sobre o tema. Além disso, a alimentação é sempre abordada de forma que o alimento seja bom, não só para nós, mas que respeite o meio ambiente e seja justo para quem produz” explica Bruno Maia, coordenador dos projetos de sustentabilidade da Escola Parque. ingredientes são frescos,





Ir para lista de artigos e notícias


Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!