Atenção

Fechar

Destaques

PLURALE EM REVISTA - EDIÇÃO 62 - Como ir além no storytelling do Relatório de Sustentabilidade?

Conheça as oito tendências da comunicação para ampliar o engajamento e a difusão do relato reputacional do GRI

Por Anatrícia Borges e Pedro Borges, da Conspiração Dostô

Em 2017, o Corporate Leadership Group (CLG), grupo formado por 13 líderes empresariais de grandes companhias globais se reuniu, a convite do Global Reporting Intiative (GRI), para discutir as principais tendências de sustentabilidade do futuro, num projeto intitulado Relatório 2025. Entre as temáticas que deverão ser inseridas na agenda das empresas até a próxima década, estão o compromisso com a mudança climática, a redução da desigualdade e a garantia dos direitos humanos.

Numa breve retrospectiva, podemos dizer que, desde sua criação, o relatório de sustentabilidade do GRI tornou-se um documento essencial no compartilhamento das melhores práticas implementadas por uma organização, para contribuir a uma economia global verdadeiramente sustentável. Nestes quase 20 anos, novos indicadores de materialidade foram inseridos ao reporte, traduzindo preocupações e exigências da sociedade, em relação aos impactos sociais, ambientais e econômicos relacionados ao negócio.

Se olharmos os principais assuntos discutidos no Fórum Mundial de Davos deste ano, que teve como tema central Criar um futuro compartilhado num mundo fraturado, o Acordo de Paris, a equidade de gênero, a redução da desigualdade e o fim das profissões pelo desenvolvimento tecnológico e a automação foram os mais debatidos por líderes empresarias e governantes. E todos estes contextos da sociedade global, em maior ou menor grau, já se tornaram uma exigência das partes interessadas ao compromisso de gestão sustentável das organizações. E a tendência é, cada vez mais, crescerem na agenda empresarial.

Neste novo bioma social, onde todos são produtores de conteúdo, com potencial disseminação de informações e ideias, é preciso pensar nestas temáticas na construção dos relatos reputacionais em sustentabilidade apresentados no relatório anual. Nesta nova era, entramos numa comunicação interacional que exige, acima de tudo, mais transparência e clareza nas informações. Pesquisas do próprio GRI já comprovam que as partes interessadas dedicam boa parte da leitura do relatório ao seu capítulo de interesse, se municiando de informações que possam pautar decisões, como, por exemplo, investir ou não em uma determinada companhia. Isso falando do stakeholder investidor.

Outras partes interessadas, como a Mídia, buscam informações sobre projetos sustentáveis e as formas de engajamento da companhia com as comunidades, que realmente tenham impacto no entorno dos ativos e na solução de seus problemas. E não duvide: em qualquer situação de vulnerabilidade da reputação, ele se torna uma poderosa fonte de informação às matérias jornalísticas. Assim foi durante toda a cobertura do acidente da Samarco, a crise da Odebrecht, BP, entre outras companhias que viveram situações profundamente graves de impacto reputacional e financeiro global em sua operação.

No território da comunicação, os relatórios, desde a elaboração do conteúdo a sua difusão, exigem que as equipes gestoras das áreas de Sustentabilidade e de Comunicação pensem em novos formatos, recursos e canais para torná-lo, a cada ano, mais atrativo e com maior alcance as partes interessadas. Relatórios de grandes companhias costumam totalizar 300 a 500 páginas, resultado de um trabalho monumental, que envolve um budget alto e muitas horas de dedicação das equipes em gestão de parceiros e revisão das informações.

Apresentamos algumas tendências da comunicação para ampliar o engajamento e alcance do relato reputacional de sustentabilidade.

8 tendências do storytelling de sustentabilidade

  1. Relatório Digital (APP)

Esqueça a publicação impressa. Faça seu relatório totalmente digital e com recursos que viabilizem o compartilhamento de conteúdo pelos usuários, visualização em mobiles e, se tiver orçamento, invista na criação de um APP. Além de alcançar mais pessoas, reduz o impacto ao meio ambiente, tanto na produção quanto no descarte. Uma grande vantagem em usar recursos digitais para relatórios de sustentabilidade é a capacidade de rastrear as páginas, conteúdos e funcionalidades que estão obtendo maior interesse dos usuários. Além disso, o relatório online permite medir e avaliar, e os ajustes podem ser feitos de forma contínua durante o ano ou no relatório seguinte. Isso ajudará a orientar melhor os temas que ressoam com os leitores e orientar suas narrativas em comunicação de sustentabilidade.

  1. Storytelling multimídia

Ouse no storytelling. Ao integrar funcionalidades interativas em um relatório de sustentabilidade online, as empresas se comunicam de forma mais envolvente. Desde a transformação dos gráficos e mapas informativos estáticos em visualização de dados dinâmicos à criação de filmes curtos com narrativas visuais de locais e pessoas. Os usuários, além de acessarem mais informações, passam também a poder compartilhá-las em suas redes em contas de mídia social. Mapeie boas histórias, invista em produções multimídia e divulgue em seus canais. Algumas companhias têm inovado na realização de instalações multimídia itinerantes, oferecendo experiências de realidade virtual, como passeios no entorno dos seus ativos, transportando o público as narrativas numa espécie de user experience.

  1. Busca fácil

Pense na necessidade dos stakeholders em acessar uma informação de forma ágil. Se informe sobre a ferramenta "Report Builder" ou outras disponíveis, e como elas podem expandir a legibilidade, para acesso rápido aos conteúdos de interesse. Como os relatórios apresentam muitas informações, o uso da busca fácil facilita ao usuário encontrar, em tempo ágil, a informação que realmente deseja. Lembre-se de que somos bombardeados de informações todos os dias, ter acesso fácil ao que se deseja, é garantia de engajamento.

  1. Índice GRI interativo

Os novos Padrões GRI são uma chance para as empresas repensarem a estrutura e o formato do Índice de Conteúdo. Ainda é necessário incluir um Índice de Contexto, mas as organizações podem usar o formato de apresentação que desejam (GRI).Em outras palavras, o GRI oferece às empresas mais flexibilidade na formatação do índice de conteúdo.

5, Visualização de dados

Use uma ferramenta de análise de dados interativa que reage às solicitações dos usuários. Dentro do mesmo espaço de página, as partes interessadas podem visualizar vários gráficos informativos em uma única interface (comparações ano a ano) que, dentro de um relatório de impressão, usaria várias imagens estáticas e espaço de página excessivo.

  1. Gamification

Algumas grandes empresas ousaram na criação de games de experiência online interativa, para compartilhar sua atuação e a mitigação de impactos por meio de jogos digitais.

Um bom exemplo é o da Heineken USA. A companhia lançou, em 2016, a Brewing a Better World, que incluía três níveis onde os usuários enfrentavam o desafio de equilibrar a vontade de competir com a necessidade de cuidar do mundo, com táticas que incluíam dirigir bem um navio para reduzir as emissões; reciclar garrafas e latas vazias em um bar e participar de rodadas em um festival de música, onde o principal objetivo era se hidratar e não dirigir um carro na volta para casa.

Além dos jogos digitais disponíveis no site ou APP do relatório, há companhias investindo em instalações com o storytelling do relatório, em locais de grande acesso público, como feiras e eventos, onde os usuários podem participar de jogos de realidade virtual, com as melhores práticas de sustentabilidade.

  1. Mapeamento de Influencers

Mapear audiências e influencers na Web para ganhar alcance tem se tornado crucial à estratégia de difusão do relato reputacional

Ao dirigir seus canais no engajamento de influencers, eles passam a atuar como interlocutores das histórias da companhia, se conectar a elas e compartilhar suas opiniões, ampliando o alcance e difusão da narrativa de sustentabilidade. Isto quer dizer, sua história contada por um especialista.

  1. Difusão Web

Defina uma estratégia de difusão Web e de PR, que contemple a contação de histórias interessantes sobre as ações de sustentabilidade da companhia e os principais marcos e inovações do relatório.

Difunda o conteúdo num planejamento de 60 dias, com a difusão nos canais destas narrativas dirigidas às partes interessadas.

Mensure o engajamento e reoriente a estratégia com a oportunidade de difusão de novas narrativas do relatório, a partir da interação e do que ressoa melhor aos stakeholders





Ir para lista de artigos e notícias


Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!