Atenção

Fechar

Álbum de fotos

Brasil sedia, pela primeira vez, o Fórum Global CCU, com foco em Universidades Corporativas/ FOTOS DE SÔNIA ARARIPE/ PLURALE
O evento GlobalCCU Forum, que reúne a cada dois anos em Paris, na França, líderes das principais universidades corporativas do mundo, aconteceu pela primeira vez na América Latina,...

Estante

Comida de Gringo - sem frescura!

Comida de Gringo - sem frescura!
Autor: Ana Fonseca e Sheila Ward

plurale no twitter

plurale no facebook

estão comentando

Eduardo Mack | 17/05/2019 | 09:17 | Na notícia: Observatório Social de Teresópolis estimula a participação cidadã na fiscalização dos gastos públicos da cidade

O tema dessa reportagem vai direto na veia de um problema crônico de nossa sociedade, fenômeno que chamo de “síndrome da reunião de condomínio”. Em nosso país TODOS reclamam do sindico de seu prédio e da administração. Mas POUCOS vão às reuniões de condomínio. Temos uma tendência a “terceirizar” tudo. Alguém vai resolver pra nós. Somos acostumados à babás, empregadas, porteiros, ascensoristas, despachantes, passadeiras, faxineiras e por aí vai. Precisamos nos engajar, cobrar. Precisamos ensinar esse direito e obrigação à nossos filhos. Isso é cidadania. Muito oportuno se a grande imprensa desse mais destaque a esse tipo de iniciativa. Voto por uma campanha nacional de Cobrança Cidadã. Parabéns PLURALE por dar visibilidade a esse importante iniciativa.

| 16/05/2019 | 18:20 | Na notícia: Observatório Social de Teresópolis estimula a participação cidadã na fiscalização dos gastos públicos da cidade

Por mais observatórios como este de Teresópolis., que permitam a fiscalização efetiva da gestão pública e o exercício da cidadania.

Giane P M Gatti | 16/05/2019 | 18:11 | Na notícia: Observatório Social de Teresópolis estimula a participação cidadã na fiscalização dos gastos públicos da cidade

Muito importante desenvolvermos o espírito cidadão, cobrarmos os política por ações, prestações de conta e muita transparência. Temos um enorme poder e o exercemos pouco.

Maurette Brandt | 18/04/2019 | 09:58 | Na notícia: Qual é o seu maior impacto negativo no planeta?

Giane Gatti estreia falando de algo importantíssimo: das sintonias e conexões que a humanidade vem perdendo ao longo dos séculos. Os seres humanos e a Natureza viviam em harmonia e a humanidade fazia eco a todos os sons da floresta, a todos os sonares naturais, ao movimento das estrelas, da lua e do sol. Dentro de cada um se podia ouvir as entranhas da terra e todos os seus movimentos. Dia e noite, ritmos circadianos alinhados.... A perda desse íntimo contato avariou as bases planetárias - e todos os males vieram: cobiça, ganância, escravidão, abandono, destruição... As informações que seu artigo reúne e a percepção profunda de que é preciso nos voltarmos para nós mesmos e recuperar nossa capacidade perdida de ouvir, sentir e respeitar a nós mesmos, ao outro e à Natureza. Sou daquelas que acreditam que ainda há tempo para isso. Bravo, Giane!

Carlos Netto | 18/04/2019 | 08:15 | Na notícia: Qual é o seu maior impacto negativo no planeta?

Momentos de crise demandam serenidade e sabedoria. Tenho aprendido isso e o texto da Giane reforça isso. Como lidar com o Brasil e o mundo que vivemos? É fundamental amadurecer a partir de perguntas assim.

Guilherme | 17/04/2019 | 21:13 | Na notícia: Qual é o seu maior impacto negativo no planeta?

Ótima reflexão. Às vezes parece que o sistema em que vivemos, nossa rotina capitalista, nos aliena e nos paralisa, pois é óbvio que nós, humanos, podemos reverter esse quadro tão negativo. Mas só se estivermos juntos. Enquanto a felicidade for um projeto individual, e não coletivo (começando na nossa casa e indo até todo o planeta e além) tudo leva a crer que vamos continuar falhando.

Edson Menezes | 10/04/2019 | 17:59 | Na notícia: Ninhos artificiais e réplicas de aves serão usados para salvar espécies em extinção

Olá! Sou o escultor que reproduziu as réplicas da fragata dessa reportagem. É um trabalho muito interessante com uma nobre causa. Já fiz réplicas de muitos animais como caranguejos uça, baleias jubarte, boto cinza, tartaruga marinha, lobo marinho..... Toninha....mas é a primeira vez que o resultado do meu trabalho será feito exclusivamente para as fragatas olharem. Quem se interessar pelo trabalho me manda um e-mail: caculedson@gmail.com Valeu!!!

Nelson Tucci | 10/04/2019 | 09:24 | Na notícia: Rio de Janeiro, uma cidade abandonada e sitiada

Ontem assisti ao prefeito do Rio falando, na tv. Que coisa lamentável ! Assinou o atestado de incompetência. Por dignidade aos eleitores que lhe confiaram a missão de pilotar esta grande cidade, deveria renunciar. Seria digno, honesto.

Cristina Mello | 03/04/2019 | 02:17 | Na notícia: Editora de Plurale, Sônia Araripe, recebe o Prêmio Honra ao Mérito SocioAmbiental Lagoa Viva junto a ecologistas, juristas e projetos socioambientais

Excelente matéria, uma iniciativa inclusiva que precisa ser replicada . Parabéns Flávia e Sônia.

Antonio Thereza Filho | 22/02/2019 | 18:51 | Na notícia: "Lira itabirana", por Carlos Drummond de Andrade - Seria uma profecia??

Resposta ao Drummond (35 anos depois) O rio já foi doce A Vale está podre de rica A pergunta que fica, que o tempo nos trouxe: Vale a pena? Vale a pena, se a alma é pequena? Fernando Pessoa já disse que não. Mariana, Itabira, querem tirar a tua beleza Te trocar por dinheiro, lucro e ambição. Vale a pena? Outrora, o metal foi o ouro Que arrancaram do nosso Brasil Para onde levaram o nosso tesouro? Ninguém sabe, ninguém viu! Ontem foi o ouro Hoje ainda tem o ferro Amanhã que será? Só choro e berro? O choro da mata O berro do macaco Sedentos por água Por alguém que os salve. Vale a pena? Acorda Brasil varonil Teu destino não é ser servil Feito mera colônia global Rejeitar qualquer tipo de lama Seja tóxica ou de qualquer outra fama Para enfim ser potência mundial. Enquanto isso vamos aguardar Que um herói de coragem dê jeito Que nos salve destas barragens Que nos livre desse rejeito. Pois é, meu caro Drumond A rapadura ainda é doce Mas não é mole não! www.facebook.com/poetaantoniothereza