Atenção

Fechar

agenda

Lançamentos de livros

Os Guardiões da Alma Carioca

Data: 17 de janeiro

No cotidiano da metrópole embrutecida e intolerante, há quem defenda e preserve a chama da alegria e da solidariedade, que forjaram a alma carioca. Gente que zela pela boa convivência entre vizinhos e visitantes, moradores e turistas, frequentadores habituais e bissextos. Vamos contar a história dos personagens que se dedicam à causa de um lugar melhor para viver. Necessários Guardiões da Alma Carioca descreve outra cidade, que sobrevive apesar dos problemas.

Os personagens espalham-se por todos os bairros, em vários formatos, estilos, propostas. Suas trajetórias desfilam por 176 páginas de um livro ilustrado, com texto de Aydano André Motta, fotos de Paulo Marcos de Mendonça Lima e design de Télio Navega. A obra ainda traz homenagem a uma guardiã inesquecível – Marielle Franco.

O livro será lançado dia 17 de janeiro, na Casa Porto (Largo de São Francisco da Prainha, 4), com a presença dos homenageados.

Os personagens:

Tia Maria do Jongo. Mantém o Jongo da Serrinha, manifestação que preserva as características do tempo dos escravos. Aos 98 anos, lidera o grupo em shows pelo Brasil e comanda a Casa do Jongo, no pé do Morro da Serrinha.

Alfredinho do Bip-Bip. Dono do bar ícone de Copacabana, na Rua Almirante Gonçalves, mantém o lugar sem funcionários – quem quiser cerveja, deve pegar e deixar o dinheiro numa pequena caixa. Assumidamente de esquerda, Alfredinho defende a boemia e pratica a fraternidade no seu próprio negócio.

Ivan Sant'Ana. Neurocirurgião e chefe da emergência do Miguel Couto. Caso raro de médico negro e de origem pobre no Brasil. Zela pela saúde pública e gratuita, envolve-se com os pacientes e chora junto nas tragédias.

Silvério Silva. Engenheiro aposentado, dedica 4 horas de seu dia para ensinar matemática gratuitamente em praças de Botafogo e do Aterro do Flamengo. Começou sozinho, mas ganhou a companhia de outros professores, chegando a mais de 100 alunos. “Se todo mundo passar o que sabe para alguém que precisa, a violência acaba”, defende ele.

Marquinhos de Oswaldo Cruz. Criador da Feira das Yabás e do Trem do Samba, transformou-se num defensor do samba e da cultura popular. Cria da Portela, preserva a memória dos mais antigos e das escolas de samba.

Eliana Sousa Silva. Educadora e ativista que criou e mantém a ONG Redes da Maré, no complexo de favelas onde cresceu, após chegar, com 7 anos, do sertão da Paraíba, onde nasceu. Constrói parcerias em nome do desenvolvimento sustentável da população de lá. A instituição hoje mantém mais de 20 projetos.

Luiz Antonio Simas. Um dos mais importantes intelectuais cariocas da atualidade, colhe seu saber nos bares e terreiros. Ocupa-se de escolas de samba, do povo de rua, dos botequins e do axé. Babalaô da religião ifá, é professor de história e tem uma legião de fãs que não para de crescer.

Tião Santos. Presidente da Cooperativa dos Catadores de Jardim Gramacho, ganhou fama planetária no documentário “Lixo Extraordinário”, de Vik Muniz. Tem os rejeitos como uma espécie de religião e tira deles o sustento de sua família. Luta pelo ressarcimento aos catadores após o fechamento do lixão de Jardim Gramacho.

Maria Eduarda Aguiar. Primeira advogada transexual a usar o nome social na carteira da OAB, trabalha contra a intolerância aos LGTBI+. Lutou em processos como o dos transexuais nas Forças Armadas.

Regina Tchelly. Criadora do projeto gastronômico Favela Orgânica, no Morro da Babilônia, iniciativa que reaproveita alimentos descartados em receitas deliciosas. Usando mão de obra local, Regina tornou-se empresária social e já levou o projeto a alguns países da Europa.

Jessé Andarilho. Escritor e ativista cultural, vive na Favela de Antares, em Santa Cruz, que serve de cenário para seus romances. Escreveu os livros num celular, nas viagens de trem do extremo da Zona Oeste ao Centro carioca. Mantém o movimento Marginow, que revela novos artistas e promove saraus de poesia em diversos lugares, no Rio e fora dele.

Otavio Livreiro. Filho de um pedreiro e uma empregada doméstica, apaixonou-se desde cedo pelos livros. Hoje mantém biblioteca na Grota, Complexo do Alemão, e o passeio literário, onde, com uma mala de livros e um tapete vermelho, reúne crianças para contar histórias.

Pastor Henrique Vieira. Professor de história, evangélico, negro e progressista, denuncia os “coronéis da fé”. Defende o estado laico, a luta contra o racismo, a intolerância religiosa, o patriarcado e o machismo. Luta também pelos direitos dos LGBT+.

Marcela da Matta. Produtora de novos talentos no funk e no rap, mantém intensa atividade comunitária em Fazenda Botafogo, na Zona Norte. Lésbica, integra as fileiras da luta LGBT+ e contra a gordofobia.

Necessários Guardiões da Alma Carioca

Editora Portunhol

Concepção: Sylas Andrade

Entrevistas e textos: Aydano André Motta

Fotos: Paulo Marcos de Mendonça Lima

Design: Télio Navega

178 páginas. R$ 70





Voltar lista de eventos