Atenção

Fechar

agenda

Outros

Um passeio pela Mata Atlântica sem sair de casa

Trilha virtual dentro de reserva ecológica é atração do Projeto Guapiaçu, voltada para estudantes e amantes da natureza

Que tal aproveitar a quarentena para fazer uma trilha pela Mata Atlântica? E com direito a um guia super especializado e muitas informações sobre a fauna, a flora e tudo que faz parte deste importante bioma. É possível fazer isso sem sair de casa, através de um tour virtual. Lançado para celebrar a Semana do Meio Ambiente, o passeio é a forma encontrada pelo Projeto Guapiaçu, uma iniciativa da Reserva Ecológica de Guapiaçu, no município de Cachoeiras de Macacu, para manter sua atuação na área de educação ambiental.

"Há alguns anos utilizamos as trilhas como ferramenta de educação ambiental, onde, de forma lúdica, sensibilizamos jovens sobre a importância do meio ambiente. Em 2018, a trilha recebeu melhorias para garantir acessos às pessoas com deficiência física e placas com conteúdo educacional. Agora, com a pandemia, tivemos de nos adaptar à realidade do isolamento social, para manter o conteúdo à disposição de todos. Além disso, em momentos de isolamento, em especial nas cidades, a falta de contato com a natureza pode criar mais ansiedade. Agora, quem quiser ter uma experiência com a Mata Atlântica pode fazer isso sem sair de casa", explica a coordenadora executiva do projeto, Gabriela Viana.

TRILHA: www.projetoguapiacu.com

Patrocinado pela Petrobras e pelo Governo Federal e apoiado pelas prefeituras de Cachoeiras de Macacu e de Itaboraí, o projeto já atingiu mais de 26 mil pessoas com atividades de educação ambiental (visitas, seminários e cursos) e restaurou 160 hectares de áreas degradadas, com o plantio de 300 mil mudas de espécies nativas da Mata Atlântica.


TRILHAS COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO

A experiência mostrou aos membros do Projeto Guapiaçu que as Trilhas Interpretativas Guiadas são um importante instrumento de educação ambiental, pois a mensagem é passada de maneira informal e agradável, o que se mostra bastante eficaz. Para a criação do tour virtual, foi escolhida a trilha Grande Vida, a primeira da região com acessibilidade, que tem 1.400 metros.

Com foco nos estudantes, mas podendo ser visitada por qualquer um que tenha interesse, foram definidos pontos de parada, momento em que são abordados temas como ciclo da água, formação do solo, sucessão florestal (os diferentes tipos de vegetação e sua transformação com o tempo), biodiversidade, cadeia alimentar, ecossistemas associados à Mata Atlântica, ciclo do carbono e a relação do homem com a natureza.

Durante a jornada, é possível observar as pegadas dos animais que vivem neste ecossistema, inclusive mamíferos como a anta, capivara, tatu-galinha, paca e cachorro-do-mato, assim como os sons de aves da região. E quatro espécies de árvores são consideradas as estrelas da trilha: Pau Brasil, Cajá-mirim, Jequitibá-rosa e Vinhático.

Fotos:
crédito: divulgação / Projeto Guapiaçu
https://drive.google.com/open?id=1dsK_1y0q8b0-aaLBQPVWzZm2JaGr08vK

NOVA FASE DO PROJETO

Além da novidade tecnológica, em sua terceira fase o Projeto Guapiaçu chega ao município vizinho de Itaboraí e passa a atuar junto às crianças de até 6 anos (primeira infância) com seu projeto educacional, que já qualificou professores, alunos, moradores, condutores de trilhas, líderes comunitários e agricultores. Além disso, nesta fase, serão reflorestados mais 100 hectares (aproximadamente 100 campos de futebol) com 130 mil mudas produzidas no viveiro da Reserva, em sua maioria plantadas com sementes coletadas na região.


PARA O FIM DA QUARENTENA

Ao realizar o passeio virtual, é inevitável se deparar com a vontade de visitar a Reserva Ecológica de Guapiaçu. Para receber os interessados em turismo ecológico, o espaço conta com uma pousada, muito frequentada por observadores de pássaros. São mais de 40 quilômetros de trilhas bem cuidadas. A trilha Grande Vida, por exemplo, recebeu adaptação em boa parte de seus 1.400 metros para receber pessoas com necessidades especiais.


OBJETIVOS DO PROJETO

• Integrar a comunidade à natureza;

• Discutir o conceito de bacias hidrográficas e sua importância como unidade de gestão ambiental;

• Despertar no estudante o interesse por atividades de interpretação do meio, estimulando-os a fazer o mesmo em seu local de origem;

• Identificar e diferenciar os tipos de vegetação nativa e exótica, a fauna a elas associadas e suas relações com o ambiente físico;

• Reconhecer a importância das áreas protegidas;

• Observar os impactos ambientais causados pela ocupação humana, estimulando os alunos a buscar soluções ou medidas mitigadoras.

HISTÓRICO

A Reserva Ecológica de Guapiaçu (Regua) é uma Organização Não Governamental (ONG) com mais de 16 anos, situada na sub-bacia do rio Guapiaçu, no município de Cachoeiras de Macacu, no Rio de Janeiro. Seu principal objetivo é proteger a Mata Atlântica e sua biodiversidade do desmatamento, da caça e da exploração predatória de recursos naturais. Além disso, a proposta inclui restaurar habitats nativos, reintroduzir espécies extintas localmente, inventariar a biodiversidade local e fazer um trabalho de educação ambiental com a comunidade.

TRILHA: www.projetoguapiacu.com

Fotos:

crédito: divulgação / Projeto Guapiaçu
https://drive.google.com/open?id=1dsK_1y0q8b0-aaLBQPVWzZm2JaGr08vK