Atenção

Fechar

Artigos e Estudos

PLURALE EM REVISTA , EDIÇÃO 28/ Água: usá-la com sustentabilidade e de forma sustentável é a única opção inteligente

Este artigo é destaque na Edição 28 de Plurale em revista que está circulando

Por Marco Simões (*)


A água é um dos bens mais preciosos para a humanidade e o mais precioso para a Coca-Cola. Nossa meta é de usá-la com absoluta responsabilidade, atingindo a neutralidade em seu uso em todo o mundo. No Brasil, já tivemos a felicidade de chegar lá, pois, além de ter um trabalho consistente de redução de consumo, conseguimos devolver para a natureza toda a água que utilizamos em nossa produção.
A vida neste pequeno planeta que habitamos só surgiu pela existência da água em estado líquido e o uso até a exaustão ou o mau uso deste recurso pode eliminar espécies e destruir ecossistemas, além de inviabilizar a produção alimentícia e a sobrevivência dos povos. Entendemos que a água deve estar disponível para consumo de todos, de forma democrática e equilibrada, nos níveis indicados para o desenvolvimento de uma vida saudável. A Coca-Cola quer fazer a diferença, em escala global, na virada da humanidade em direção à sustentabilidade do uso da água. A plataforma de sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, Viva Positivamente, tem entre suas ações prioritárias o uso eficiente e racional da água, de acordo com a estratégia mundial para recursos hídricos definida pela empresa. Esta estratégia se baseia em três “Rs”: Reduzir a água usada na produção de bebidas; Reciclar a água residual do processo; e Repor a água às comunidades na natureza.
A Coca-Cola Brasil conseguiu um nível de excelência no uso da água que é replicado mundo afora. Em 2011, nosso índice de uso de água no Brasil foi 1,91 litro para cada litro de bebida produzido, incluindo nesta conta o litro que vai dentro da embalagem. Na indústria de bebidas brasileira é o índice mais baixo, além de figurar entre as mais eficientes operações de gestão do uso da água em todo o mundo. Isso é ainda mais relevante quando consideramos que, para nossa sorte, o Brasil é um país riquíssimo neste importante recurso natural. Na mentalidade que imperava na sociedade há não mais de 20 anos, não haveria necessidade de “tanta economia” no Brasil. Mas todo o Sistema Coca-Cola Brasil, integrado pela Coca-Cola Brasil e 15 fabricantes autorizados, com quase 50 fábricas, espalhadas pelo País, investe há bastante tempo em recursos e pesquisas que asseguram o devido valor a cada gota de água que entra em suas fábricas.
A redução do volume de água utilizada no processo de fabricação obedece metas claras e está alinhada com as diretrizes da companhia que, desde 1995, vem desenvolvendo mecanismos para neutralizar o consumo de água na fabricação de bebidas. Entre 2010 e 2011, a redução do uso de água no Brasil foi de 3%. Para se ter uma ideia da evolução que atingimos neste campo, em 2001 eram necessários 2,54 litros de água para produzir um litro de bebida, ou seja, nos últimos dez anos, a utilização de água pelo Sistema Coca-Cola Brasil teve redução de 23%.
A Coca-Cola estabeleceu para si a meta global de chegar a 1,5 L por litro produzido. A meta para o Brasil é levar o índice de uso de 1,91 L (2011) para 1,5 L em 2020. É uma tarefa difícil, uma meta ambiciosa, pois os índices brasileiros já estão entre os melhores do mundo. Neste nível, fica cada vez mais difícil encontrar as oportunidades para tornar a operação ainda mais eficiente. Mas todo o Sistema Coca-Cola Brasil está confiante de que fará sua parte para que, globalmente, a Coca-Cola possa atingir a meta que se propôs.
Para tornar eficiente o uso da água, o Sistema Coca-Cola Brasil investe continuamente em treinamento e conscientização ambiental de seus colaboradores, parceiros e fornecedores, medição de consumo e eliminação de desperdícios e, ainda, na criação de novas tecnologias que usam menos água ou simplesmente eliminam o seu uso. Atualmente, por exemplo, 15 de nossas fábricas realizam captação de água da chuva que, tratada, entra no processo produtivo.
Para reciclar este bem, desde a década de 90 adotamos metas como, por exemplo, que toda água que saia das nossas fábricas permita a vida aquática. Para isso, todas elas possuem estações de tratamento de efluentes que sempre utilizam as mais avançadas tecnologias e, a cada ano, conseguem reciclar mais água e diminuir seu o uso total. A
Coca-Cola Brasil também investe na reposição da água, em especial através de programas de plantio, recuperação e manutenção de florestas e matas como o Água das Florestas, do Instituto Coca-Cola Brasil, e do apoio à FAS – Fundação Amazonas Sustentável.
Um exemplo mais específico e atual dentro do nosso Sistema é o Projeto Água do Amanhã, da Companhia de Bebidas Ipiranga, de Ribeirão Preto, que acaba de ganhar o Troféu Planeta, um prêmio da Coca-Cola Brasil ao qual concorrem todos os fabricantes e que tem como foco o desenvolvimento de iniciativas sustentáveis no processo produtivo. Depois de feito o “dever de casa”, investindo internamente para atingir suas metas de uso de água, a Ipiranga verificou a necessidade de estabelecer a conscientização ambiental também entre seus clientes, estimulando a reutilização do uso de água e a redução do consumo. Na primeira fase do projeto, houve a participação de 14 pontos de vendas, que em seis meses alcançaram a meta global de redução de 20% do consumo de água. A economia alcançada foi de mais de 1,5 milhão de litros de água, representando uma diminuição de 30% no consumo. Na etapa seguinte, mais 40 pontos de venda juntaram-se à iniciativa, o que representou mais 1,1 milhão de litros de água economizados.
Também posso citar o exemplo do Grupo Brasal, nosso fabricante no Distrito Federal e em parte de Goiás, que apresentou em 2011 o melhor índice de uso de água entre todo o Sistema Coca-Cola Brasil. Com uso de 1,18 L para cada litro produzido, o desempenho impressionante da fábrica da Brasal estimula positivamente todos os demais fabricantes a chegar a tal nível de excelência. Para aproveitar este estímulo, promovemos uma visita dos demais fabricantes à fábrica para que aqueles pudessem conhecer as soluções empregadas que fizeram a Brasal atingir um nível que, mesmo em países mais ricos, é raro encontrar. A fábrica desenvolveu iniciativas em todas as fases da produção, apostando nas mais modernas tecnologias disponíveis para utilizar menos água, o que garantiu retorno imediato na forma do baixíssimo índice de uso. Houve dezenas de melhorias nas áreas de produção, xaroparia e tratamento de água. E em toda a fábrica foram instalados medidores de água, exatamente para se verificar em que áreas ainda se poderiam encontrar soluções. Evidentemente, o fabricante não instalou simplesmente equipamentos e deixou que eles fizessem tudo sozinho. Houve um grande investimento em treinamento e em ferramentas de gestão, essenciais para que os investimentos em material dessem o retorno esperado.
Se formos resumir a razão do sucesso da Coca-Cola Brasil na gestão de água, podemos utilizar as palavras que se repetem na lista de ações tomadas: recuperação e reúso. Queremos levar a experiência da Brasal e da Ipiranga, que encontram paralelos em outros fabricantes, para o Sistema Coca-Cola de forma global.

(*) Marco Simões é Vice-Presidente de Comunicação e de Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil





Ir para lista de artigos e notícias


Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!