Atenção

Fechar

Pelo Brasil

Niterói se destaca no tratamento de resíduos

Pesquisa desenvolvida pelo Selur e pela PwC avaliou mais de 3.000 municípios com base em critérios como impacto ambiental e engajamento da sociedade

Niterói, no Rio de Janeiro, é a segunda cidade do país com a melhor gestão de resíduos sólidos entre municípios com mais de 250 mil habitantes. Os dados são da segunda edição da pesquisa do Índice de Sustentabilidade de Limpeza Urbana (ISLU), elaborado pelo Selur (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana) e pela PwC Brasil e estará disponível para acesso público após o evento de lançamento, no dia 31 de agosto.

O índice utiliza dados disponibilizados pelo Sistema Nacional de Informações de Saneamento (SNIS) e avalia a limpeza urbana nos municípios a partir do grau de cumprimento das normas estabelecidas pelo PNRS, com uma pontuação que varia de zero a um (quanto mais próximo de 1, mais aderente à Política Nacional de Resíduos Sólidos o município está). Os resultados do estudo indicam que a cidade de Niterói atingiu, neste ano, uma pontuação de 0,742 (classificação B), ante 0,622 (classificação C) no estudo anterior, registrando uma das mais altas variações positivas entre as cidades pesquisadas.

A nova pesquisa analisou 3.049 municípios, ante 1.729 no ano passado. “O aumento do número de municípios participantes mostra a relevância do ISLU, que é uma ferramenta valiosa para mensurarmos a adesão dos municípios à Política Nacional de Resídios Sólidos”, diz Federico Servideo, sócio da PwC Brasil.

O ISLU leva em conta quatro aspectos: engajamento do município (população atendida e população total); sustentabilidade financeira (se há arrecadação específica para a coleta de lixo); recuperação dos recursos coletados (material reciclável recuperado sobre total coletado); e, por fim, impacto ambiental (quantidade destinada incorretamente sobre a população atendida).

Abaixo os indicadores que compõem a pontuação de Niterói no ISLU:

  1. Engajamento do município - considera a cobertura do serviço de coleta de resíduos sólidos e o desenvolvimento do município, com base no IDHm

2016 = 0,885 / 2017 = 0,885

  1. Sustentabilidade financeira - considera o grau de autonomia financeira do município em relação ao serviço, analisando se o município tem uma arrecadação específica e qual a relação do custo do serviço com as despesas totais do município

2016 = 1,000/ 2017 = 1,000

  1. Recuperação dos recursos coletados - considera a quantidade de material recuperado sobre a quantidade coletada

2016 = 0,010/ 2017 = 0,010

  1. Impacto ambiental - considera a quantidade de resíduos destinados incorretamente (lixão ou aterro controlado). Niterói obteve nesta dimensão a maior variação positiva

2016 = 0,458/ 2017 = 1,000

Em 2015, a cidade gastou com serviços de limpeza R$ 204.638.162,57, dos quais R$ 130.045.823,43 pagos pelo setor público e R$ 74.592.339,14 pelo setor privado.

Na pesquisa atual, a cidade do Rio de Janeiro ocupa a 4ª posição no ranking das melhores no grupo de cidades com mais de 250 mil habitantes. O Rio manteve a mesma pontuação obtida na pesquisa anterior (0,731 – classificação B). São Gonçalo e Duque de Caxias, na região metropolitana do Rio, melhoraram em relação à pesquisa anterior, mas ainda mantêm baixa pontuação (0,654 e 0,652, respectivamente – ambas na classe C).

O impacto ambiental gerado pela falta de destinação adequada dos resíduos sólidos coletados e o baixo percentual de material reciclado deixaram outras cidades da região metropolitana do Rio na lanterna do ranking, entre elas Nova Iguaçu (com queda de pontuação de 0,710, em 2016, para 0,641, no estudo atual) e São João de Meriti (queda de 0,583 para 0,543).

Melhores e piores

O melhor desempenho, no ranking nacional, foi de Maringá, no Paraná, com pontuação de 0,744 e classificação B. Na outra extremidade do levantamento, há grande representatividade de municípios do Norte. Entre os 20 municípios com as piores avaliações, metade se encontra na região. Belém com índice 0,484 e classificação E é a cidade entre aquelas que possuem população maior que 250 mil com maiores desafios para o cumprimento das metas.

As conclusões do ISLU mostram que ainda há um longo caminho a ser percorrido quando o assunto é a limpeza urbana no Brasil. Nenhuma cidade brasileira conseguiu a nota máxima do índice. Por meio da análise do estudo, é possível encontrar soluções factíveis para a sustentabilidade das cidades avaliadas. O estudo destaca que os munícipios com arrecadação específica para a gestão de lixo oferecem maior probabilidade de destinação correta dos resíduos: cerca de 70% das cidades com arrecadação específica dispõem corretamente os resíduos – encaminhando-os para aterros sanitários. Nas localidades sem arrecadação específica, o índice é de 28%.

As cidades que contam com planejamento de limpeza urbana também apresentam um desempenho melhor. O estudo mostra que 75% dos munícipios com esse tipo de plano e arrecadação específica dispõem o lixo em aterros sanitários, ante 24% daqueles sem arrecadação e planejamento de sustentabilidade. “Os dados apresentados revelam a importância de mecanismos específicos para gerar recursos para o descarte correto dos resíduos”, diz Marcio Matheus, presidente do Selur. “O ISLU também traz uma série de análises e parâmetros para que gestores públicos e privados de limpeza urbana possam tornar o ambiente das cidades mais adequado e sustentável. ”

Sobre o SELUR

O SELUR (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana do Estado de São Paulo) é o órgão responsável por centralizar os esforços das empresas paulistas de limpeza urbana. A instituição representa o conjunto de ações fundamentais para a sociedade, que incluem coleta e transporte de resíduos sólidos, manutenção da limpeza pública, além do tratamento e destinação final do descarte feito pela comunidade – desde residências até estabelecimentos comerciais e hospitalares. O SELUR tem ainda o objetivo de divulgar informações a fim de conscientizar os cidadãos comuns da relevância social, ambiental e econômica dos serviços prestados pelas suas associadas e seus milhares de colaboradores.

Sobre a PwC

Na PwC, o nosso propósito é construir confiança na sociedade e resolver problemas importantes. Somos um Network de firmas presente em 157 países, com mais de 223.000 profissionais dedicados à prestação de serviços de qualidade em auditoria e asseguração, consultoria tributária e societária, consultoria de negócios e assessoria em transações. Saiba mais sobre a PwC e nos diga o que é importante para sua empresa ou carreira, visitando nosso site: www.pwc.com







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!