Atenção

Fechar

Social

Capacitação com impacto social

Startup promove diversidade e inclusão capacitando pessoas e empresas por meio de palestras com pessoas com deficiência

Do Rio
Dados da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) mostram que o mercado brasileiro de palestras movimenta R$ 100 milhões por ano. No mundo, a cifra deve chegar a US$ 12 bilhões. Para o empresário Carlos Paes, os números mostram um mercado promissor e é um incentivo para quem, como ele, está ingressando mais fortemente nesse mercado – Paes acaba de criar a startup Converger, que conta apenas com profissionais pessoas com deficiência (PCDs) para capacitar pessoas e empresas em todo o Brasil.
Nascido em Madureira, zona norte do Rio de Janeiro, e empreendedor desde os 14 anos, o CEO encontrou no filho Luiz Felipe, de 19 anos, outra fonte de incentivo. Cedo o jovem foi diagnosticado com TDAHA e Deficiência Intelectual (DI). O fato fez com o que o pai abrisse a EMPROLRH, voltada para recolocar pessoas com deficiência no mercado de trabalho, transformando-a hoje na Converger, que já realizou mais de 100 palestras e eventos por todo o país.
"Percebi que as pessoas com deficiência com as quais tinha contato, além de se destacarem em suas áreas de atuação tinham um elemento importante: experiência de vida. Isso permite que eles tenham empatia com o outro e transmitam de forma mais efetiva conceitos e ideias motivacionais", explicou o CEO.
Segundo Paes, outro fator foi fundamental para fazer com que seguisse esse caminho. Para o especialista, era importante promover mudança agregando valor às empresas e aos palestrantes. "A nossa ideia era levar conhecimento e capacitação, porém ao mesmo tempo promover impacto social, componente importante hoje para a imagem das empresas".
No casting da Converger estão nomes como os nadadores e medalhistas paralímpicos Susana Schnarndorf Ribeiro – campeã mundial e medalha de prata nos Jogos Rio 2016 – e Clodoaldo Silva, que participou de cinco paralimpíadas, ganhando seis medalhas de ouro, seis de prata e três de bronze; o ator, roteirista e comediante Jeffinho Farias – conhecido por sua atuação na TV e no teatro; a jornalista Fernanda Honorato, repórter do programa Especial da TV Brasil – a primeira repórter com Down no país; o palestrante Gustavo Carneiro, administrador de empresas e esportista, que teve a perna amputada em virtude de um câncer; além de outros atletas, artistas, e profissionais da psicologia e administração.
Foto do palestrante Gustavo Carneiro, administrador de empresas e esportista. Ele teve a perna amputada em virtude de um câncer / Divulgação




Ir para lista de artigos e notícias


Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!