Atenção

Fechar

Destaques

Líderes mundiais querem ampliar luta contra aquecimento global

Via Agência Brasil

- Por NHK (emissora pública de televisão do Japão) Madri

Líderes mundiais prometeram ampliar a luta contra o aquecimento global no primeiro dia da COP25, a conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, que está sendo realizada em Madri, na Espanha.

Ela reúne líderes de mais de 30 países. Os participantes se comprometeram a agir nos termos do Acordo de Paris, que deverá ser implementado no ano que vem.

No entanto, os líderes dos maiores emissores dos gases causadores do efeito estufa, incluindo os Estados Unidos, a China, a Índia e o Japão, não participam do encontro.

Os EUA, o segundo maior emissor desses gases no mundo, anunciou oficialmente a sua retirada do Acordo de Paris em novembro.

Na sessão de abertura da conferência, António Guterres, secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), reforçou que a única forma de conter o aumento das temperaturas globais abaixo de 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais é visar a neutralização das emissões de carbono até 2050.

Guterres pediu que as pessoas "entrem no caminho correto hoje, não amanhã" e disse que a conferência vai oferecer a oportunidade para que isso seja feito.

Mídia internacional também destacam a abertura/ Via Clima Info

Hoesung Lee, presidente do IPCC, ressaltou o desafio climático: “Nossas avaliações no IPCC mostram que, para estabilizar a mudança do clima, é preciso que as emissões de gases de efeito estufa comecem a atingir seu pico a partir do ano que vem. Só que as emissões continuam aumentando, sem dar o menor sinal de que começarão a cair. Estamos claramente em uma crise.”

As falas saíram na edição europeia do Politico.

O South China Morning Post trouxe outra frase de Guterres: “Contenha a mudança do clima ou desista. Será que realmente queremos ser lembrados como a geração que enfiou a cabeça na areia, que brincou enquanto o planeta queimava?”

O Financial Times também falou da abertura da Conferência, quando China e Japão, que deveriam estar fazendo muito, foram apontados como retardatários climáticos. Sem falar nos EUA que Trump prometeu retirar do Acordo. O Inside Climate News replicou a matéria.







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!