Atenção

Fechar

Pelo mundo

WWF: Em cinco décadas, mundo perdeu 68% de suas espécies animais

WWF

Via Clima Info

A nova edição do relatório Planeta Vivo, publicado pelo WWF, destaca um cenário dantesco para a biodiversidade global: em menos de 50 anos, o planeta perdeu mais de dois terços de suas populações de mamíferos, aves, anfíbios, répteis e peixes selvagens. As principais causas para esse desastre são o desmatamento crescente e a expansão agrícola, que pressiona cada vez mais os ecossistemas, com prejuízo para as espécies naturais que dependem deles para sobreviver.

De acordo com o levantamento, as áreas mais afetadas são as sub-regiões tropicais das Américas do Sul e Central, onde a redução foi de 94%. “A natureza está diminuindo globalmente a taxas sem precedentes em milhões de anos”, alertou o diretor-geral do WWF, Marco Lambertini. “A forma como produzimos e consumimos alimentos e energia e o flagrante desprezo pelo meio ambiente, enraizado no nosso modelo econômico atual, levou o mundo natural aos seus limites”.

O relatório destaca também que a pandemia de COVID-19 reforça outra preocupação futura para a humanidade: a maior probabilidade de sofrermos com doenças zoonóticas contagiosas, resultado da ruptura na relação do homem com a natureza. O texto ressalta que até 60% das doenças infecciosas atuais são decorrentes de animais, e quase ¾ delas de animais selvagens. Com a perda de ecossistemas e a maior interação entre espécies selvagens e os seres humanos, a possibilidade de novas doenças surgirem cresce em todo o mundo.

Bloomberg, Deutsche Welle, Financial Times e The Guardian repercutiram os principais apontamentos deste relatório.

ClimaInfo, 11 de setembro 2020.







Veja também

1 comentário | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Paulo Gramado |
Que tragédia. Muito importante este tipo de abordagem, fundamental para a adoção de medidas restritivas ao avanço irresponsável que causa um enorme desequilíbrio ecológico. Parabéns pela publicação.