Atenção

Fechar

Cinema verde

Plurale Edição 71- Coluna Cinema Verde , por Isabel Capaverde

Cinema Verde, por Isabel Capaverde

#Juntospelocinema une o setor

Pela primeira vez no mercado brasileiro, exibidores, distribuidores, produtores, criativos e parceiros da indústria estão envolvidos em um projeto único com o intuito de preparar e implementar a retomada do cinema no Brasil pós-pandemia, num movimento chamado #JuntosPeloCinema. Respeitando a individualidade de cada empresa e mantendo a livre concorrência, a campanha busca ações para manter acesa a magia do cinema. O grupo de profissionais voluntários envolvidos no projeto tem como meta retomar o diálogo entre a experiência da sala de cinema e o público, de agora até o momento de reabertura das salas pelas autoridades, respeitando os protocolos aplicáveis de segurança e bem-estar já determinados ou em elaboração pelos governos locais. Saiba mais em www.juntospelocinema.com.br

A importância de rios e várzeas da Amazônia

A Revista Pesquisa Fapesp divulgou o interessante documentário “Como rios e várzeas influenciam a formação de espécies na Amazônia?” . Ao longo dos milênios, cursos d’água e mudanças na paisagem favorecem a diversificação de plantas e animais amazônicos. A bióloga Camila Ribas, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e o geólogo André Sawakuchi, do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (IGc-USP), explicam esse processo.


Uma praça e 13 nascentes

Dirigido e roteirizado pela cineasta Gabriela Nassar, o documentário “A Nascente Mora Aqui” retrata a Praça Nascente que na Zona Oeste da cidade de São Paulo, abriga 13 nascentes remanescentes do cerrado. O curta com depoimentos de frequentadores, especialistas e coletivos, pede atenção da população e dos órgãos públicos para a proteção daquele oásis em pleno bairro da Pompéia. A praça se destaca não apenas peça presença das águas, mas por ser palco de atividades culturais como o Carnaval e shows. Só que tudo está ameaçado pela construção de um empreendimento vizinho a praça que, ao rebaixar o lençol freático, pode afetar drasticamente as águas e a vegetação, alterando o ecossistema local. O curta pode ser assistido no You Tube acessando o link: www.youtube.com/watch?v=1TreGrojtJ8&feature=youtu.be

Discussão sobre o tempo

O assunto nunca foi tão debatido em meio ao isolamento social provocado pela pandemia. No documentário “Quanto Tempo o Tempo Tem”, disponível para assinantes do Netflix, são discutidas questões que envolvem as diferenças do conceito de tempo entre as civilizações. Especialistas explicam e refletem sobre o tempo e os seus significados. “Quanto Tempo o Tempo Tem” é estruturado como uma pesquisa, com base filosófica.

A trajetória dos cães-guias no Brasil

O documentário Olhar de Cão, produção da Prosperidade Content, revela a trajetória dos cães-guia no Brasil, destacando diferentes fases da jornada do animal: do nascimento, passando pela socialização e treinamento, formação da parceria com a pessoa com deficiência visual e a aposentadoria. Um caminho que envolve muitos profissionais, trabalho e desenvolvimento de um profundo laço entre ser humano e cão. Com a direção de Renato “Nego” Lima, “Olhar de Cão” apresenta histórias de homens e mulheres que se dedicam a treinar esses cães e pessoas que têm sua vida completamente transformada por eles. Uma delas, que é destaque no documentário, é a advogada Thays Martinez, ativista pelos direitos da pessoa com deficiência, que há 20 recebia seu primeiro cão-guia.







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!