Atenção

Fechar

Pelas Empresas

Energisa: RH Digital procura inovar e ampliar investimentos em tecnologia para melhor atender colaboradores

Do Rio

Se por um lado o isolamento social compulsório provocado pela Covid-19 impôs o desafio às empresas na reavaliação dos modelos vigentes de gestão de pessoas, por outro, representou uma oportunidade para as organizações promoverem uma transformação digital na área de recursos humanos. Nesse sentido, o Grupo Energisa acelerou os processos de digitalização durante a pandemia, com investimentos em inovação para ampliar o uso da tecnologia em diversas frentes: treinamentos a distância, recrutamento e seleção, telemedicina, interatividade entre os colaboradores, e promoção do bem-estar e da saúde dos cerca de 20,5 mil funcionários diretos e terceirizados.

Hoje, 80% do processo de R&S em RH da Energisa são realizados por meio digital. A transformação digital no RH da Energisa começou em 2018 com o projeto de "R&S Agile", que tinha como principal objetivo automatizar os processos, gerando ganhos como maior agilidade e assertividade. Nestes dois anos, acumulam investimentos da ordem de 1 milhão, sendo R$ 350.000,00 investidos no período de pandemia para continuarmos garantindo qualidade em selecionar os melhores talentos de forma digital. Automatizamos todos testes, passaram a ser online e centralizados garantindo qualidade e melhorando o padrão das avaliações.

Para tanto, a Energisa utiliza, entre outros recursos, robôs para automatização de processos com foco em produtividade e redução de custos; utilização de realidade aumentada e realidade virtual para treinamentos; sistemas de business intelligence (BI); e dashboards que facilitam o cruzamento de dados para tomada de decisões. Desta forma, a Energisa conseguiu ter agilidade, por exemplo, das condições da implantação de trabalho remoto, tanto para a análise do impacto do home office em termos de custos operacionais, quanto para o levantamento de colaboradores com maior vulnerabilidade à Covid-19.

Vantagem competitiva - Daniele Salomão, vice-presidente de Gente e Gestão do Grupo Energisa, avalia que os investimentos em tecnologia representam uma vantagem competitiva para a empresa. Isso porque a sistematização das informações agiliza o acesso aos dados com mais segurança e inteligência. "A inovação torna a gestão de pessoas ainda mais relevante para os negócios, na medida em que a área amplia a base de conteúdo para decisões mais assertivas. Essas informações, alinhadas ao planejamento da empresa, facilitam e aceleram a elaboração de estratégias e metas", afirmou.

Saúde dos colaboradores – Os sistemas de BI, por exemplo, são úteis na formulação de programas voltados à saúde dos profissionais. A partir do cruzamento de informações, é possível relacionar, por exemplo, o uso do plano de saúde à prática esportiva ou ao tratamento de doenças crônicas. A ênfase na comunicação com os colaboradores sobre a prevenção da Covid-19 também teve efeito positivo durante o isolamento social. Os colaboradores também estão com acesso a serviços de telemedicina, incluindo apoio psicológico. Considerando a natureza essencial da atividade, que exige elevado grau de exposição de grupo determinado, os casos da doença, até o momento, são baixos.

Segurança – As inspeções de segurança em campo, realizadas pelas equipes do SESMT e lideranças operacionais, são totalmente digitais. Através de um aplicativo específico, os fatores de prevenção de risco são avaliados e registrados na plataforma de forma automática, alimentando uma ferramenta de gestão através de sistema BI que permite agilidade na tratativa dos pontos de melhoria e maior rapidez na disseminação de boas práticas.

Contratação digital – Diante dos resultados verificados, entre março de junho deste ano, muitos procedimentos já estão sendo adotados de forma permanente. É o caso da contratação de profissionais com atuação administrativa. O processo seletivo passou a ser 100% realizado por meio digital em plataformas de videoconferência, exceto para cargos operacionais que requerem capacitação presencial exigida antes do trabalho em campo. Até julho deste ano, 580 profissionais administrativos foram admitidos desta forma. O protocolo para assinatura de contratos de trabalho continua sendo feito pessoalmente em atendimento à legislação – e já temos um projeto para digitalizar também essa assinatura. Para a seleção de trainees, a Energisa utiliza a plataforma Kenoby, que permite aplicação de análises durante todo o processo seletivo.

Interação e treinamentos – A inovação também proporcionou um ambiente colaborativo e integrado durante a pandemia, facilitado por plataformas Teams (para videoconferências) e Miro (utilizado de forma combinada com o Teams para as atividades de planejamento estratégia do RH). Em média são realizadas diariamente cerca de 1200 reuniões, 7800 chamadas; e troca de mais de 435 mil mensagens por chat e por canal interno. Entre março e junho deste ano, a Energisa registrou aumento de 10% nas horas de treinamento e de 20% nos cursos de educação a distância (EAD) em relação ao mesmo período de 2019. Além disso, a participação em lives e webinars para desenvolvimento de lideranças alcançou uma participação média de 800 colaboradores por evento.

Home office – A política de home office da Energisa, que chamamos de smart work, ainda está sendo estruturada. Pelas pesquisas iniciais, temos a expectativa de que essa nova forma de trabalho abranja mais de 2.500 colaboradores que terão sua rotina de trabalho divididas entre o presencial e o remoto. Além do aumento na qualidade de vida, retenção de talentos e adequação com os anseios do nosso público interno, o Grupo Energisa ainda pretende economizar cerca de R$ 2,5MM/ano, sem contar com a economia de Capex ligado a futuras intervenções civis não mais necessárias com a redução de colaboradores nas dependências da empresa.







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!