Atenção

Fechar

Pelas Empresas

Grupo Trambusti aposta em tecnologia e sustentabilidade

De São Paulo

Atravessar um processo de sucessão não é tarefa simples, mas o Grupo Trambusti faz a transição de comando de Fausto Raphael Trambusti para o atual CEO Francisco Carlos Munhoz com tranquilidade. A corporação, que faturou R$ 300 milhões em 2019, reafirma o compromisso de investir em tecnologia e sustentabilidade, mantendo seus atuais 1.500 colaboradores, no interior de São Paulo e na cidade de Betim (MG). A direção aposta na recuperação do setor automobilístico em 2021.

“O mundo está em acelerada transformação e a indústria automobilística, com a qual trabalhamos, é pioneira nisso, por isso estamos perfeitamente alinhados com as tendências e nos manteremos atentos ao negócio”, garante Munhoz, destacando o mercado de veículos elétricos e da indústria 4.0. Além do Centro de Inovação ocupando-se de pesquisas permanentes para o desenvolvimento de novos produtos e melhoria de processos, ele destaca a gama de outros investimentos com o objetivo de suportar as demandas e exigências futuras

“Nosso fundador e Presidente Emérito do Conselho deu início ao processo sucessório e passagem de comando há cinco anos, concluído com êxito, porque sabia dos compromissos da empresa. A força do seu legado nos motiva a continuar, firmes”, disse o dirigente, ao comunicar o falecimento do sr. Fausto, ocorrido dia 13 último.

Investir em tecnologia, para acompanhar os desafios da indústria automobilística, sem perder a perspectiva da sustentabilidade é política do Grupo Trambusti que há 88 anos iniciou suas atividades com a produção e venda de capachos e tapetes domésticos e comerciais utilizando-se de fibras naturais.

Desenvolvida essa expertise, e arrojo empresarial, a empresa foi pioneira no fornecimento de tapetes, forros e isolamentos térmicos e acústicos para automóveis e caminhões. “Nós nascemos em 1933. O meu pai trabalhava com fibras de coco e de sisal para a indústria de eletrodomésticos”, lembrava o fundador Fausto Raphael Trambusti. Foi ele que em 1956 criou a Formtap e consolidou o Grupo Trambusti. Ao ser entrevistado costumava brincar, deixando o ensinamento: “Nós nunca jogamos nada fora, sempre aproveitamos todas as aparas. Portanto, falar em sustentabilidade para gente nunca foi novidade”.

E a aposta é perene, pois o grupo tem uma unidade exclusiva, em Porto Feliz (SP), para processar as aparas e transformá-las em novas fibras e, daí, em produtos de isolamento acústico. Ganha a empresa, reaproveitando parte da matéria-prima, ganham os clientes das montadoras e ganha o planeta e o meio ambiente que não recebe nada de descarte industrial. Para se ter ideia dessa prática sustentável, somente em 2019 foram recicladas 2,3 milhões de kg em aparas.







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!