Atenção

Fechar

Artigos e Estudos

PLURALE EM REVISTA, 73 - Desafios das lideranças para os tempos atuais

Por Maria Elena Pereira Johannpeter, Colunista de Plurale (*)

Nos tempos de VUCA¹ (ou será muVUCA?) os Pensadores gregos estão mais atuais do que nunca. Podemos lincar os desafios do século 21 ao ENIGMA DA ESFINGE, quando ela diz: “Decifra-me ou eu te devoro”.

Há, também, o MITO DA CAVERNA, inúmeras vezes praticado por nós. Quando voltamos as costas à realidade, adentramos na caverna. Esse século une essas duas figuras: a ESFINGE e a CAVERNA.

A expressão “Novo Normal” não terá vez. É melhor nos conscientizarmos que a expressão mais verdadeira daqui para frente, será: “Novo Novo”.

O que o século 21 está mudando em nossa Vida? Estamos entrando em uma Nova Era – a Era de Aquarius. Estamos sendo chamados a olhar para dentro de nós e para VIDA em sua plenitude, o que nos chama a responder à pergunta: QUEM REALMENTE SOU EU? Gosto de ressaltar a palavra “realmente”, pois a maior parte das respostas bate-pronta, não satisfazem. Você terá que refletir mais, pois levamos uma existência inteira para chegar perto de uma resposta.

O nosso querido poeta, Mário Quintana dizia: “a Vida é o dever escolar. É o homework que trouxemos para aqui executar”. Então, para atendermos esse homework eu complemento: não basta fazermos o Planejamento de Carreira. O mais importante, é fazermos o Planejamento Existencial, o qual também podemos identificar como PROPÓSITO. Uma vez identificado, tudo o mais se derivará dele: a nossa Carreira, a Familia, a Formação, os relacionamentos, os interesses em geral, etc.

E aqui entro em algo que pouco é falado e esse é o “Novo Novo”. Se estamos falando em Planejamento Existencial ou PROPÓSITO da nossa existência, então entraremos numa jornada de ampliação de consciência: QUEM eu sou? POR QUE estou aqui? Para O QUE estou aqui? COMO e O QUE vou fazer para melhor atingir RESULTADOS QUALITATIVOS nessa Jornada que se chama VIDA ou Homework?

O mais interessante nessa reflexão é percebermos que, o que hoje estamos chamando de Propósito nada mais é do que os OBJETIVOS que elegemos para o atingirmos o verdadeiro PROPÓSITO de nossa Jornada Existencial.

Mas por que eu fiz toda essa introdução se o título acima é “Desafios das Lideranças para os tempos atuais”? Fiz com a perspectiva de defesa de quem hoje estamos chamando de Líderes.

Você, que está lendo esse texto, já parou para pensar, o quanto está sendo exigido dessa pessoa? É algo tão vasto e tão complexo que ele precisará ser um Super Homem. É só pegar qualquer manual ou assistir a seminários e congressos sobre como tornar-se um bom líder, que você certamente sairá com a sensação de que nunca poderá ser um. Todavia, se separarmos as figuras de Líder e de Gestor, aí você ficará mais tranquilo.

Muitas vezes a empresa tem um ótimo e maravilhoso Gestor, mas que não é um Líder. A recíproca é verdadeira. Um maravilhoso Líder nem sempre é um ótimo Gestor. Você já analisou a figura de um Maestro? Você acredita que ele possa cuidar desde os detalhes da bilheteria, à divulgação do evento até a afinação dos instrumentos e a regência de sua orquestra? A entrega da melhor apresentação musical, o maravilhoso som que extasie a plateia, é o real propósito do Maestro.

Assim como o Maestro, o Líder responde ao Por Quê da existência da sua empresa. A isso chamamos de Planejamento Existencial daquela empresa. Agora, a entrega de Metas atingidas é papel do Gestor, assim como o uso assertivo das melhores e atualizadas ferramentas operacionais.

Ao Líder, cabe cuidar de todas as siglas atuais e de outras que ainda virão, tipo RSE, ODS, ESG, GBV. Cuidar intra e extra muros. Estar sempre atualizado. E, na atualidade, ser também um pouco vidente.

Pensando assim, acredito que a melhor estratégia é que Líder e Gestor sejam uma dupla uníssona, buscando RESULTADOS qualitativos e quantitativos.

Ao novo Líder, cabe ser um facilitador para o desenvolvimento de Seres Humanos em sua plenitude e não apenas, de Colaboradores.

Ao novo Líder cabe, em primeiro lugar, conhecer-se e, após, fazer o seu auto desenvolvimento, tendo por base a RSI – Responsabilidade Social Individual que diz: “Trabalhar os valores internos, faz despertar na pessoa o seu VERDADEIRO valor, o que a torna mais ativa e socialmente transformadora do mundo ao seu redor”. (ONG Parceiros Voluntários)

Ao novo Líder, cabe conscientizar os que estão ao seu lado, de que toda ordem social é criada por nós, conforme diz o filósofo Bernardo Toro. O agir ou não agir de cada um, contribui para a formação ou a consolidação da ordem em que vivemos. (Bernardo Toro, filósofo, sociólogo e educador colombiano)

Ao verdadeiro Líder cabe ir à frente. Parafraseando as épocas de guerra, “levar as primeiras flechadas”. O Líder não exerce poder. Exerce uma figura de autoridade por sua legitimidade. Une coração e razão.

O Líder apoia e estimula a ampliação das consciências

(Figura: ONG Parceiros Voluntários)

Estamos em novos tempos. Essa é a Era de Aquarius, que quer que expandamos a nossa consciência, a nossa Visão de Vida. É para isso que aqui estamos. Ao atingirmos e compreendermos a magnitude desse presente, aí seremos felizes. Ser feliz é a consequência da compreensão maior.

Agora eu lhe pergunto, caro leitor e leitora: se sua vida fosse um Livro, qual Título que ele teria? Reflita bem, pois esse, poderá ser o Significado, o Sentido de SUA Vida.

Jung disse tudo: O Homem não suporta uma vida sem significado.

A Humanidade, com quase 8 bilhões de pessoas, está num momento de Travessia. Mesmo para os que não sabem ou não querem saber, a travessia está acontecendo.

..................

Tempo de Travessia - Fernando Pessoa

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas,

Que já tem a forma de nosso corpo.

E esquecer os caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares.

É o tempo da travessia.

E, se não ousarmos fazê-la,

Teremos ficado, para sempre,

À margem de nós mesmos."

(1) VUCA (é uma sigla em inglês:: Volatility (volatilidade), Uncertainty (incerteza), Complexity (complexidade) e Ambiguity (ambiguidade). Ela é usada para descrever as mudanças rápidas e com diversas facetas, do mundo em que vivemos atualmente.

(*) Maria Elena Pereira Johannpeter

Fundadora e Membro do Conselho de Administração

da ONG Parceiros Voluntários

É Colunista de Plurale

Idealizadora e produtora do Canal - Youtube.com/Travessia

maria elena pereira johannpeter







Veja também

5 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Luiz Fernando Bello |
Muito bom o artigo de Maria Helena. Descreve de forma clara o que os novos tempos exigem para o exercício da liderança: acima de tudo propósito. Entretanto o novo não é necessariamente novo. São descobertas muitas vezes do óbvio oculto na caverna de Platão. Como exemplo, a afirmação: "Ao novo Líder, cabe ser um facilitador para o desenvolvimento de Seres Humanos em sua plenitude e não apenas, de Colaboradores." Líderes e gestores com as exceções que justificam a regra ainda não perceberam que para a formação de equipe eficiente e eficaz precisam contar com seres humanos plenos.

Edson F Nunes da Rocha |
“A incerteza é a única certeza que temos”...(Z. Bauman). Mesmo os que adentraram os portões de Tebas ao decifrarem o enigma da esfinge, deparam-se com: “ Conhece-me ou te destruo”. Seu artigo é maravilhoso, Maria Elena . O “novo novo”, é, para líderes, liderados, comprometidos e descomprometidos, um novo mundo a ser descoberto. Gostei tanto que quis filosofar.

Luiz Gaulia |
Maria Elena, belo texto. Intenso e reflexivo! Gostei de ver o indivíduo profissional tendo como desafio se tornar líder inspirador e também gestor de pessoas, além de um cidadão mais livre. Meu livro teria como título: "O Ser Real". Espero que o "novo novo" não bloqueie o potencial humano individual e a liberdade de criar, amar e fazer acontecer. Gratidão pelo seu texto!

28/03/2021 07:06
Começo, meio e fim maravilhosos. Repensar nossa humanidade. Excelente artigo! - Professor Dario Menezes

nadia rebouças |
Maria Helena boa reflexão. Mas intuo que as empresas, nosso modelo econômico também está sendo convidado a revisitar seu propósito. Nesses tristes tempos de Brasil , eu que sempre presei pelo meu propósito, tenho Sofrido muito por perceber que o que fiz, participei, ajudei a construir está sendo destruído numa rapidez que não me permite enxergar, durante esse período da minha escola na terra, a reconstrução. Assim meu maior aprendizado tem sido o exercício da fé.... mesmo que não assista os humanóides vão encontrar seu propósito. Que venham os líderes do Novo Novo. Abraços!