Atenção

Fechar

Pelo Brasil

Enel Green Power fomenta preservação da arara-azul-de-lear no Norte da Bahia

  • Típica da Caatinga, espécie estava funcionalmente extinta na região antes do projeto de soltura de novas aves financiado pela empresa

  • Seis aves acabam de ser reintroduzidas na natureza, três delas resgatadas vítimas do tráfico de animais silvestres; ao todo, 12 aves já foram devolvidas ao seu habitat natural

Da Enel Green Power Brasil

A Enel Green Power Brasil, subsidiária brasileira de energia renovável do Grupo Enel, promoveu a soltura de seis aves da espécie arara-azul-de-lear na Região do Parque Nacional Boqueirão da Onça, no município de Campo Formoso, Norte da Bahia, onde a empresa construiu e opera um parque eólico. A iniciativa integra um projeto apoiado pela Enel desde 2016 com o objetivo de monitorar esta espécie de arara, funcionalmente extinta na região como consequência da caça e captura ilegal. Em 2019, outras seis aves também tinham sido reintroduzidas em seu habitat natural por meio do mesmo projeto.

Das seis novas aves que puderam voltar à natureza após quatro meses de ambientação num viveiro, duas nasceram e viviam na fundação Loro Parque, em Tenerife, na Espanha, e foram doadas em uma parceria do projeto com a instituição. Quatro araras são selvagens e foram resgatadas e salvas pelo Programa de Resgate da arara-azul-de-lear e pela Fazenda Cachoeira (respaldados pelo ICMBio) – uma delas tinha se acidentado na natureza e três foram resgatadas vítimas do tráfico de animais silvestres, que ainda ameaça a espécie.

As outras seis araras, que já estão no meio ambiente desde janeiro de 2019, vêm sendo monitoradas por GPS por biólogos e pela equipe de Meio Ambiente, Arqueologia e Biodiversidade da companhia e estão adaptadas à natureza. O rastreamento por GPS permite o acompanhamento da movimentação, dispersão, locais preferidos para alimentação e uso do habitat natural dos animais, possibilitando um maior entendimento sobre os hábitos da espécie e principais locais que devem ser protegidos. Os dados apurados até agora confirmam o que os especialistas esperavam inicialmente e apontam que as araras soltas pelo projeto estão interagindo com os dois indivíduos selvagens que já viviam na região, alcançando distâncias entre 10 a 15km do viveiro de onde elas foram soltas.

A soltura monitorada beneficia diretamente a sobrevivência desta espécie, que é tão importante para a biodiversidade brasileira. Como são animais sociais, as araras se beneficiam muito quando estão em grandes grupos. Dar continuidade ao processo de soltura de novos exemplares aumenta a interação entre elas na natureza e o processo de adaptação das novas araras”, explica Valeria Ladeira, Coordenadora de Meio Ambiente da Enel Green Power Brasil.

A arara-azul-de-lear é um dos tesouros da Caatinga do nordeste baiano. Típica da região, ela é também uma das espécies que se encontram à beira da extinção. Somente no Brasil, existem 1.260 aves desse tipo, sendo que na região do Boqueirão da Onça havia o registro de apenas dois exemplares. Segundo os biólogos à frente do projeto, por serem do mesmo sexo ou por estarem em idade avançada, os animais não se reproduziam, o que tornava a arara-azul-de-lear funcionalmente extinta na região. A expectativa é que, com a introdução das aves ao meio ambiente, em dois anos a reprodução comece a acontecer, dando início ao repovoamento da espécie.

O programa de conservação de espécies animais está em linha com a política de biodiversidade da Enel, que tem como objetivo criar medidas de proteção ao meio ambiente. Além disso, a EGP contribui com a convenção da ONU sobre diversidade biológica, um dos mais importantes instrumentos internacionais relacionados ao tema.

Sobre a Enel Green Power

Dentro do Grupo Enel, a Enel Green Power é dedicada ao desenvolvimento e operação de energias renováveis em todo o mundo, com presença na Europa, Américas, Ásia, África e Oceania. A companhia é líder global no setor de energia limpa, com capacidade gerenciada de cerca de 47 GW, distribuídas em um mix de geração que inclui eólica, solar, geotérmica e hidrelétrica, e está à frente na integração de tecnologias inovadoras em usinas renováveis.







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!