Atenção

Fechar

Pelo mundo

Desastre ambiental no Chile: choque com a catástrofe causada pela "maré marrom" e por que é importante evitá-la na Argentina

Patagonia, marca de roupas para atividades ao ar livre que se opõe à instalação de fazendas de salmão na Argentina, se junta à denúncia de organizações da sociedade civil sobre a catástrofe ambiental que o salmão está causando no sul do Chile

Da Argentina/ Da Patagonia

Leia mais sobre este tema em reportagem especial para Plurale, do Canal de Beagle, Patagônia, Argentina, por Mônica Yanakiew. Publicação de setembro de 2019 já alertava para os riscos.

Palena, quinta-feira, 8 de abril de 2021- A morte em massa de salmões no sul do Chile gerou consternação e alertou organizações da sociedade civil como a Fundação Terram, Defendamos Chiloé, AIDA, Greenpeace e a marca outdoor Patagonia. O desastre ambiental, que desde as alturas pode ser visto como uma grande maré marrom, ocorreu no Fiorde Comau, na província de Palena, onde até 6 de abril havia uma mortalidade de 1.300 toneladas de salmão.

O evento ocorreu devido ao surgimento de proliferações de algas nocivas (HAB), que se alimentam de matéria orgânica lançada no mar pelas operações de criação de salmão. Esses nutrientes são as fezes e os alimentos não consumidos pelos peixes, que dão vida às algas tóxicas que, por sua vez, absorvem o oxigênio, geram zonas mortas onde a vida não se prolifera e dão lugar à morte massiva do salmão.

Se as mudanças climáticas forem consideradas nesta equação letal, o quadro é ainda mais desolador, já que águas mais quentes dão origem a mais crescimento de algas. Os centros de cultivo estão localizados nos fiordes onde há pouca troca de água, então a localização geográfica se torna mais um gatilho para o desastre.

Da mesma forma, recentemente outras 1.600 toneladas de salmão morto foram registradas na região de Aysén em 12 centros agrícolas, aumentando a catástrofe ambiental. No entanto, e apesar do grande impacto desses eventos, ONGs chilenas e internacionais denunciam a ausência de informação clara e oportuna que a autoridade setorial deva fornecer em casos como este, especialmente dados os antecedentes históricos que existem nesta matéria. Ressaltam, ainda, que, segundo as autoridades, esses eventos começaram a ocorrer no dia 27 de março, e até o momento não há informações públicas detalhadas. No total, 18 centros ativaram planos de ação.

Outras consequências da criação de salmão

Fatos como esses têm um grande impacto ambiental nos ecossistemas, consequências que ficam expostas no documentário chileno "Estado Salmonero", produzido pela Patagônia e liderado por Ramón Navarro, surfista profissional de ondas grandes e embaixador global da marca outdoor.

O filme, dirigido por Daniel Casado, revela detalhes de uma das maiores indústrias do Chile, superada apenas pelo cobre, e cuja regulamentação é baixa, elementos que se tornam a combinação perfeita para uma importante pegada de destruição. O documentário, lançado em 2019, também dá conta das origens da indústria e expõe de onde vem o maior consumo per capita de salmão de viveiro chileno em nível global.

Na Argentina, diversos organismos ambientais e a marca Patagonia realizaram e continuam realizando ativações para prevenir a instalação desta indústria no Canal de Beagle e assim proteger nosso meio ambiente, a comunidade e a economia. É muito importante que a proibição da criação de salmão seja mantida e ampliada para atender a possíveis catástrofes nas terras da região de Magalhães e Terra do Fogo.

Diante desse cenário, a Patagonia propõe que exijamos das autoridades a justiça ambiental e ajudemos a proteger os últimos lugares intocados do planeta. O que você pode fazer? Esteja informado, não coma salmão de viveiro e rejeite a expansão da indústria do salmão.

Sobre a Patagonia

Fundada por Yvon Chouinard em 1973, a Patagonia é uma empresa de roupas para atividades ao ar livre localizada em Ventura, Califórnia. Como uma empresa B certificada, a missão da Patagonia é fabricar o melhor produto, sem causar danos desnecessários, e usar o negócio para inspirar e implementar soluções para a crise ambiental. A Patagonia é reconhecida internacionalmente por seu compromisso com a autêntica qualidade de seus produtos e com o ativismo ambiental, com contribuições superiores a US $ 78 milhões em fundos e doações até o momento.

(Tradução por Felipe Araripe/ Plurale)







Veja também

1 comentário | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Altamir Tojal |
É preciso ficar de olho também na criação de peixes em viveiros aqui no Brasil. Como estão a regulação e a fiscalização?