Atenção

Fechar

Pelo Brasil

Mais da metade dos negócios de impacto socioambiental lançaram produtos ou serviços, na pandemia

Para muitos empreendedores ter um negócio ultrapassa o propósito do lucro, os chamados negócios de impacto social buscam associar sua atividade principal ao compromisso de beneficiar a população local. As possibilidades para os negócios de impacto social são diversas, o conceito está na intenção para a qual o negócio foi criado: ele precisa essencialmente ter sido desenvolvido para resolver questões sociais relacionadas à saúde, educação, justiça, meio ambiente, cultura, entre outros.

Com essa natureza voltada à resolução de problemas, os negócios de impacto social apresentam uma performance positiva diante da pandemia da Covid-19. De acordo com o 3º Mapa de Negócios de Impacto Social e Ambiental, a maioria desses empreendimentos enxergam a crise como uma oportunidade.

A pesquisa realizada pela Pipe.Social, com apoio do Sebrae, do Governo Federal e de diversas outras entidades, mostra que 52% dos negócios de impacto lançaram produtos e serviços, alcançando novos nichos de consumo no mercado. Outro dado surpreendente é que as expectativas de vendas para 2021 se mantêm positivas. A grande maioria (80%) espera superar o faturamento do ano passado. As principais medidas adotadas pelos negócios de impacto social, para atravessarem os desafios impostos pela pandemia, estão ligadas à transformação digital.

Novas ações de marketing, promoções e publicidade foram aplicadas por 37% das empresas entrevistadas. 20% delas investiram em novos canais de vendas, por exemplo através do Whatsapp, redes sociais ou site próprio de e-commerce. 13% dos negócios optaram por novos modelos de monetização, tais como vouchers, pré-vendas, apoios de fãs, entre outros.

Assim como os negócios tradicionais, aqueles voltados para o impacto social tiveram que reduzir os gastos para se manterem em funcionamento: 25% tiveram que enxugar contas e despesas administrativas, 18% cancelaram planos de expansão do negócio, 13% focaram em captar doações, 10% cancelaram serviços terceirizados e apenas 4% tiveram que demitir funcionários. Quando se trata das dificuldades enfrentadas pelos donos de negócios de impacto, a queda nas vendas (30%) é o que mais tem causado preocupação. O acesso recursos e capitais financeiros é o segundo maior desafio, com 25%. Instabilidade da cadeia de fornecedores (18%), cancelamento de contratos (16%) e dificuldade de manter os funcionários (14%) também aparecem como problemas mais recorrentes entre os empreendedores do setor.

Para o analista de inovação do Sebrae, Philippe Figueiredo, a pesquisa é essencial pois irá subsidiar a instituição na elaboração de programas e serviços que estimulem a criação de mais negócios de impacto social no país. “Os negócios de impacto estão em franca expansão no Brasil e no mundo. O estudo é um grande termômetro de como esse tipo de negócios se comporta no nosso país. A pesquisa é muito completa e traz um perfil dos negócios, que tipo de dor e procura as empresas possuem. Isso é fundamental para o Sebrae desenvolver projetos com os estados para estimular o aumento dos negócios sociais”, afirma. Phillippe destaca a grande procura pelo curso oferecido pelo Sebrae sobre como criar um negócio de impacto socioambiental. “O material é voltado para incentivar essa vontade de criar negócios que possam transformar realidades. É gratuito, online e já tivemos mais de 20 mil participantes”, diz. As inscrições para o curso podem ser feitas aqui.

Enimpacto
Além dos cursos, capacitações, consultorias e atendimentos, o Sebrae fortalece o apoio aos negócios de impacto integrando a Estratégia Nacional de Investimentos e Negócios de Impacto (Enimpacto). O grupo é uma articulação de órgãos e entidades da administração pública federal, do setor privado e da sociedade civil com o objetivo de promover um ambiente favorável ao desenvolvimento de investimentos e negócios de impacto. A iniciativa é estruturada em cinco eixos estratégicos: ampliação da oferta de capital; aumento da quantidade de negócios de impacto; fortalecimento das organizações intermediárias; promoção de um ambiente institucional e normativo favorável aos investimentos e aos negócios de impacto e fortalecimento da geração de dados que proporcionem mais visibilidade aos investimentos e aos negócios de impacto.

Programa Impacta
Para apoiar pequenos negócios voltados para atividades socioambientais, o Sebrae Rio prorrogou as inscrições do Programa Impacta. O projeto já acelerou mais de 100 negócios, que alcançaram um resultado de 70% de melhoria do nível de maturidade de sua gestão. Os empreendedores interessados têm até 14 de maio para confirmar suas inscrições, que são realizadas exclusivamente pela internet. A iniciativa é subsidiada com recursos do Sebrae Rio (89%) e o investimento realizado pelas empresas selecionadas será de R$ 425, podendo ser parcelado em 12 vezes, sem juros.







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!