Atenção

Fechar

Tragédia em Brumadinho

12 artistas homenageiam vítimas de Brumadinho após 2 anos e meio do rompimento da barragem

De Giane Gatti, Especial para Plurale
Dois anos e meio sem seus seus entes queridos. 913 dias. 11 estações do ano.
Para marcar a data, 12 artistas homenagearam as 272 vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, com textos inéditos ou cedidos.

Gilberto Gil enviou a letra da música Estrela, Marina Colasanti ofereceu o poema Assim os levo, do livro Mais longa vida, já o ator, autor e diretor teatral Eduardo Wotkiz escreveu a Carta aberta aos cidadãos de Brumadinho, e a atriz e autora teatral Clarice Niskier participou com o texto inédito Margens. Além de colaborações do multi-instrumentista Marcus Viana, Márcio Borges, Zeca Baleiro, Zélia Duncan, a jornalista e atriz Bianca Ramoneda, o ator e curador artístico de teatros André Acioli, o ator de cinema, teatro e televisão e diretor teatral Elias Andreato, e o dramaturgo e diretor teatral Pedro Kosovski.

Os textos foram gravados em vídeo por parentes de vítimas, bombeiro, representantes do Ministério Público, do IML, entre outros, e estarão disponíveis nas redes sociais da Associação dos familiares de vítimas (Avabrum).

"O Brasil não pode esquecer. Esse fato não pode ser banalizado. Há responsabilidades. Uma ética a ser alcançada. Nossa maior riqueza é a vida", afirmou Clarice Niskier.

Já Eduardo Wotzik falou que decidiu participar da homenagem junto a colegas, "artistas tão consistentes, foi o fato de que sofro de uma doença incurável que me assola pela manhã, já ao acordar, e me acompanha por todo o dia até que consiga dormir: a indignação". E Marina Colasanti contou que cedeu um poema que fala dos mortos que cada um leva na memória, "para que os parentes das vítimas do rompimento da barragem Mina Córrego Feijão Brumadinho saibam que não estão sozinhos no seu luto. Passados dois anos e meio da tragédia da Vale, e apesar de tantas vítimas da covid19, o Brasil ainda chora os 272 mortos e os 10 desaparecidos. Brumadinho se transformou em luto nacional."

Para marcar a data, a Avabrum fez um evento transmitido pelas redes sociais e agradeceu a participação dos artistas.


"Diante da contemplação de tão grandiosas obras, só nos resta agradecer. Esses poemas marcam como tatuagens em nossa alma e nos fazem seguir com mais esperança e que estamos no caminho certo."






0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.