Atenção

Fechar

Destaques

Ana Botafogo de “A” a “Z”

Em livro emocionante, um pai atento e amoroso relata, em detalhes, cada momento da carreira da bailarina mais popular que o Brasil já conheceu. Lançamento dia 1/9, em parceria com o Institito Bees of Love, terá renda revertida para reforma da maternidade do Hospital Miguel Couto

Por Maurette Brandt, Especial para Plurale

Fotos de Alice Bravo, Amir Sfair e Mário Veloso - Divulgação - Livro Ana Botafogo

Ballet "O Lago dos cisnes" - Foto de Mário Veloso - Divulgação - Livro Ana Botafogo

Ao longo de mais de 900 páginas, a história de Ana Botafogo se revela em textos saborosos, matérias jornalísticas, listas que vão desde os partners que dividiram o palco com a artista às cidades, brasileiras e estrangeiras, onde Ana se apresentou. Com precisão cirúrgica, veia jornalística e verve de memorialista, o médico e cirurgião Ernani Ernesto Fonseca não só acompanhou como registrou, nos mínimos detalhes, a carreira da filha que viria a ser conhecida como “a bailarina do Brasil”. A obra entrelaça histórias curtas da vida familiar e da observação constante ao acompanhar a filha em incontáveis oportunidades, com o recheio de textos compilados de jornais, revistas, programas de espetáculos e inúmeras outras fontes.

A obra, preparada ao longo de várias décadas e finalizada nos últimos cinco anos, será lançada no dia 1º de setembro de 2021. A preciosa edição é uma parceria entre Ana Botafogo e o Instituto Bees of Love, dirigido por Georgia Buffara. Os sortudos que conseguirem garantir um exemplar vão contribuir para reformar a maternidade do Hospital Miguel Couto. O lançamento acontecerá no boulevard (área aberta) do Salão Assyrio, do Theatro Municipal do Rio, com todos os protocolos estabelecidos para a Covid-19, o que envolve acesso restrito.

- Estou muito feliz, porque queria muito que meu pai participasse desta festa que é lançar o livro, e isto vai ser possível – comemora Ana Botafogo. – Afinal, é o trabalho de uma vida. Eu mesma, quando li, fiquei assustada: não tinha consciência de que tinha dançado tanto! – surpreende-se. - Para mim, foi como “redescobrir” o que eu mesma tinha feito – reflete.

- Porque resolvi eu mesmo contar esta história? – revela o autor, médico e pai Ernani Ernesto Fonseca, no prefácio do livro. - Principalmente porque Ana, no auge de sua carreira, pelo temperamento e pela humildade, em sua maneira de ser e de tratar, não faria sua autobiografia. Teria de falar a verdade. E a verdade, no caso da carreira de Ana, inclui quase sempre falar de sucessos. E falar de sucessos em causa própria não seria o seu forte. Em segundo lugar, por entender que a história de alguém deva ser contada na época certa. No caso de uma artista, em pleno apogeu de sua carreira - completa.

Espetáculo "Isto é Brasil" , no qual Ana Botafogo dançou sambas e músicas populares ao lado de Carlinhos de Jesus - Foto de Alice Bravo - Divulgação - Livro Ana Botafogo

Uma época em detalhes

A obra de Ernani Ernesto Fonseca - hoje com 95 anos - não só retrata em minúcias cada passo da carreira de Ana Botafogo, sua filha, mas lança luz sobre várias décadas da história da dança no Brasil, ao repercutir boa parte da trajetória do balé do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Ainda que como pano de fundo, esse relato é rico em informações sobre diversos períodos de apogeu e glória, ou mesmo derrocada e dúvida, que evidenciam a instabilidade que a dança, assim como outras artes, sempre enfrentou por aqui.

Ballet Coppélia - Foto de Amir Sfair - Divulgação - Livro Ana Botafogo

A linguagem leve e pessoal é um dos grandes charmes de uma leitura que a gente tem dificuldade de interromper. A sensação é de entrar, pela janela, num grande livro de aventura - e participar das peripécias, alegrar-se com os sucessos da personagem principal, sofrer com ela suas dúvidas, receios ou inseguranças – e seguir ao seu lado a cada etapa vencida. Muitos encontrarão ali suas lembranças de fãs; outros se surpreenderão e alguns reviverão memórias bem particulares. Nestes últimos me incluo por ter acompanhado bastante a trajetória de Ana Botafogo, a partir do final da década de 1990, quando tive a honra de lhe transmitir o convite – aceito! – para dançar para os operários da Usina Presidente Vargas, da Companhia Siderúrgica Nacional, em Volta Redonda, na comemoração das cem milhões de toneladas de aço produzidas, em 1997. A referência está na página 558.

Do ponto de vista documental, o livro é uma autêntica preciosidade: cada detalhe da trajetória de Ana Botafogo está documentado com rigor e comentado com ardor. Vários olhares, como câmeras em sintonia, nos fazem atentar para um ou outro ângulo: identificamos o jornalista que valoriza a notícia de maior impacto; o pai, que revela ora um indisfarçado orgulho, ora amor, carinho e proteção; e o memorialista, que cumpre sua nobre missão de deixar às próximas gerações o legado mais completo possível.

- Eu não teria coragem de fazer um livro assim – admite Ana Botafogo. – A minha vida era só ensaio, ensaio e ensaio – sorri. – Como artista, a gente esquece os registros, as turnês, as críticas. Aliás, uma boa parte do trabalho do papai resgata a importância da imprensa, porque praticamente tudo que saiu está no livro – aponta. – Quando a gente lê, sente o quanto precisa da imprensa. E de pessoas que escrevam sobre dança, como já tivemos no passado. Como isso faz falta!

Espetáculo Momentos Foto de Alice Bravo - Divulgação - Livro Ana Botafogo

Ana Botafogo destaca outro aspecto interessante: o livro é referencial. – A leitura não é necessariamente cronológica; se a pessoa quiser, pode buscar informações específicas. A cronologia existe para facilitar a pesquisa, mas pode-se ir a um ponto ou outro e retornar, sem perder a perspectiva – ressalta.

E para concluir esta matéria, nada melhor que a perspectiva do autor, uma verdadeira assinatura amorosa:

É com muita emoção que termino este livro onde contei com muita verdade e extremo carinho a vida artística de minha filha. Este livro começa no dia do nascimento de Ana e termina quando dançou pela última vez um grande balé de repertório no Theatro Municipal. [...] Este trabalho, que realizei durante anos, visa manter para a posteridade a história de Ana Botafogo, para que possa servir de exemplo aos jovens que com extrema seriedade queiram se dedicar à vida artística. - Ernani Ernesto Fonseca

A pré-venda do livro “Ana Botafogo – Palco e Vida” está disponível exclusivamente pelo telefone (21)99977-9396.

Serviço

Lançamento do livro Ana Botafogo – Palco e Vida, de Ernani Ernesto Fonseca

1/9/2021, às 16 horas

Local: Em Espaço aberto no Salão Assyrio do Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Praça Floriano, s/número – Cinelândia

Entrada pela Avenida 13 de Maio

Em virtude das restrições relativas à Covid-19, o número de participantes será restrito. Mais informações no próprio Theatro Municipal.







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.