Atenção

Fechar

ESPECIAL CORONAVÍRUS

Serviços de saúde na pandemia: e-book da Fiocruz apresenta análises e reflexões

Marcella Vieira (Editora Fiocruz)

Em seus boletins e notas técnicas, divulgados desde o início da pandemia, o Observatório Covid-19 Fiocruz apresenta dados, informações e balanços que indicam uma série de tendências para os sistemas e organizações de saúde de todo o país. Neste início de 2022, em que há forte disseminação da variante Ômicron, as análises do Observatório continuam se mostrando fundamentais ao apontar orientações de maior atenção para o aumento nos índices de internação e de ocupação de leitos de UTI. É em meio a esse contexto que o Observatório Covid-19 Fiocruz e a Editora Fiocruz lançam, nesta quarta-feira (26/1), mais um documento que reúne um compilado de análises, experiências e reflexões para tempos tão desafiadores: o e-book Covid-19: desafios para a organização e repercussões nos sistemas e serviços de saúde. O livro digital está disponível para download gratuito na plataforma SciELO Livros.

Organizado por Margareth Crisóstomo Portela, Lenice Gnocchi da Costa Reis e Sheyla Maria Lemos Lima, pesquisadoras da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), o volume é o quarto da série Informação para Ação na Covid-19, uma parceria entre o Observatório e a Editora Fiocruz. O livro segue a ideia central da iniciativa encabeçada pelo Observatório: reunir o conjunto de respostas, pesquisas e ações técnicas produzidas pela Fiocruz durante a pandemia, mapeando a evolução do vírus no país e as ações de enfrentamento.

Margareth Portela destaca que, diante dos grandes desafios que a emergência global tem causado para os sistemas de saúde, o Brasil especificamente tem um quadro em que "problemas crônicos foram exacerbados, como também problemas novos ficaram evidentes, dentro de um contexto político muito difícil". Segundo a organizadora, o volume não pretende ser exaustivo na abordagem de uma temática tão ampla, mas ele tem um caráter documental do momento. "O livro também nos leva a pensarmos em lições para experiências futuras que possamos vir a enfrentar ou mesmo aspectos que talvez precisemos ajustar na rotina dos serviços de saúde", afirma a professora.

Dividido em quatro partes, que englobam um total de 30 capítulos, o e-book é um esforço conjunto de 159 autoras e autores, pesquisadores e especialistas das mais diversas áreas de saúde pública/saúde coletiva. O livro é iniciado com um panorama geral sobre o enfrentamento da Covid-19, destacando os níveis nacional e internacional. Nessa primeira parte, são abordadas questões como governança do setor Saúde e também estratégias de enfrentamento da crise gerada pelo vírus a partir de lições aprendidas de outros países, como China, Alemanha e Espanha.

Em seguida, a segunda parte é centrada na organização do cuidado e dos serviços na pandemia. São analisados fatores como logística, desabastecimento de medicamentos, vacinação, qualidade do cuidado e segurança do paciente, disponibilidade de leitos de terapia intensiva, Atenção Primária à Saúde e Atenção Básica no Sistema Único de Saúde (SUS), Saúde Mental e Atenção Psicossocial, maternidades e Covid-19, entre outros.

Na parte três, dedicada aos profissionais da saúde que atuam no enfrentamento da Covid-19 no Brasil, o livro traça um perfil desses trabalhadores e suas condições de trabalho, além de abordar temas como medo e insegurança entre os agentes comunitários que atuam na Atenção Primária nas favelas do país, os riscos dos agentes de combate às endemias e o sofrimento mental de profissionais de UTIs e emergências no Rio de Janeiro. "Essa é uma classe [profissionais da saúde] extremamente afetada durante a pandemia, com adoecimento, estresse e também com o desafio de aprender a lidar com algo tão novo", alerta Margareth Portela.

A quarta e última parte, que relata experiências brasileiras na pandemia, foca especialmente em ações de organização de serviços na atenção primária e também em algumas experiências mais intersetoriais ao longo desse processo de enfrentamento da emergência. Nesse contexto, os capítulos debatem a atuação da Defensoria Pública na pandemia e sua luta pela priorização da assistência à saúde, a produção e a divulgação de informações pelo Proqualis (vinculado ao Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fiocruz), as atividades do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Rio de Janeiro (Cosems RJ), a organização da rede de serviços de saúde em Florianópolis (SC), além de casos e experiências em Manguinhos e na Favela da Maré, ambos nas proximidades da Fiocruz, e no município de Niterói (RJ).

Fortalecer as estruturas do SUS

"Responder rapidamente às novas e crescentes demandas por atendimento em nível ambulatorial e hospitalar tornou-se tarefa inescusável para os sistemas de saúde", ressaltam, no texto de apresentação, as organizadoras. É a partir dessa premissa que as três pesquisadoras convidam leitoras e leitores a conhecerem a obra, um recorte com reflexões que documentam o que tem sido essa jornada de cerca de dois anos de enfrentamento da pandemia. "Além de cuidados complexos no quadro agudo grave da doença, a Covid-19 impõe a organização da rede de serviços de saúde, segundo uma linha de cuidados relacionados à doença, para lidar com as suas diferentes manifestações, níveis de gravidade e sequelas, nos diferentes pontos de atenção componentes dessa rede. As experiências de diferentes países confirmam que o papel da Atenção Primária à Saúde (APS) é central e deve ser fortalecido de modo a permitir o monitoramento adequado e a resolutividade de casos passíveis de acompanhamento domiciliar e em unidades básicas de saúde", alertam.

O livro levanta uma gama de temas que estão em permanente destaque nos debates relacionados à pandemia: as ações de vigilância em saúde; testagem e rastreamento de contatos; medidas de isolamento e de proteção; perda de profissionais na linha de frente, seja por conta da própria doença ou por causa da enorme sobrecarga física e emocional, entre outros assuntos. As autoras lembram que, apesar de muito conhecimento ter sido produzido a partir dessas experiências, a incorporação dessas informações na organização dos serviços de saúde ainda é "desigual e frequentemente incipiente". Elas complementam: "A Covid-19 desafia não somente porque exige respostas dos sistemas de saúde, mas também porque tem desorganizado a provisão de cuidados necessários a outras condições de saúde".

O importante painel construído pelo e-book não esgota todos os temas, mas documenta reflexões, proposições e lições para o futuro. E em todos os cenários analisados, os autores e autoras enfatizam a necessidade de valorização e fortalecimento do nosso Sistema Único de Saúde, contemplando seus aspectos estruturais e sua capacidade de planejamento e gestão. "Por fim, e não menos importante, faz-se necessário o fortalecimento de estruturas do SUS para dar conta do passivo de atendimentos não realizados durante a pandemia, adicionado a filas de espera tradicionalmente longas e às novas demandas, oriundas da Covid longa, com variada gama de sequelas e danos em parte da população acometida", finalizam as pesquisadoras.

Organizadoras

A engenheira eletricista Margareth Crisóstomo Portela é mestra em Engenharia Biomédica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Ph.D. em Health Policy and Administration, com pós-doutorado na Medical University of South Carolina (EUA). É pesquisadora da Ensp/Fiocruz, onde é docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública. No Observatório Covid-19, é responsável pelo eixo "Medidas de Controle e Organização dos Serviços e Sistemas de Saúde".

A médica Lenice Gnocchi da Costa Reis é mestra em Ciências da Saúde pela Fiocruz e doutora em Sau?de Pu?blica pela Ensp/Fiocruz, onde é pesquisadora titular.

A médica Sheyla Maria Lemos Lima é mestra em Administração Pública pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e doutora em Saúde Pública pela Ensp/Fiocruz, onde atua como tecnologista em saúde pública.

Observatório Covid-19: Informação para Ação

A primeira publicação da série Informação para Ação na Covid-19 foi Diplomacia da Saúde e Covid-19: reflexões a meio caminho, lançada no final de 2020. O segundo e-book foi Os Impactos Sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e respostas à pandemia e o terceiro foi Covid-19 no Brasil: cenários epidemiológicos e vigilância em saúde, publicados em abril e novembro de 2021, respectivamente. Todos os livros da série estão disponíveis somente em formato digital e em acesso aberto na rede SciELO Livros, que apoia a iniciativa.

Além de Covid19: desafios para a organização e repercussões nos sistemas e serviços de saúde, mais um livro será lançado em 2022, encerrando o conjunto de cinco obras que comporão a série.

As publicações instantâneas (instant books) têm o intuito de levar ao público conhecimentos e reflexões sobre a pandemia, combinando um esforço de análises amplas e integradas sobre temas específicos, com rapidez na produção de modo a estarem disponíveis e de modo amplo em um curto período de tempo. "Esses livros têm como objetivo reunir o conjunto de produções técnicas da Fiocruz, como relatórios, estudos e notas técnicas, em resposta à Covid-19", afirma Carlos Machado, coordenador do Observatório Covid-19.

O Observatório foi constituído logo nos primeiros meses da pandemia no Brasil, com o objetivo de reunir informações sobre os diversos aspectos epidemiológicos, demográficos, sociais e políticos da pandemia e sua expressão em grupos sociais de maior vulnerabilidade. Tem caráter multidisciplinar, visto que a pandemia deve ser entendida como um fenômeno influenciado por diversos fatores geográficos, históricos, culturais e econômicos e afeta todas essas dimensões. Em seu âmbito, estudar, analisar e emitir alertas sobre a situação e tendências da pandemia não constitui mero exercício estatístico, pois se desdobra em uma compreensão ampla sobre a sociedade brasileira e seu sistema de saúde, com especial ênfase no SUS.

Editora Fiocruz

Criada em 1993, a Editora Fiocruz surgiu da necessidade de tornar público e ampliar o acesso ao conhecimento científico nas diversas áreas da saúde, criando um espaço para dar visibilidade aos resultados de pesquisas. Desde seu primeiro lançamento, em 1994, a Editora mantém como missão a difusão de livros em saúde pública, ciências biológicas e biomédicas, pesquisa clínica, ciências sociais e humanas em saúde.

Em 2021, ultrapassou a marca de 500 títulos publicados. O catálogo da Editora reúne obras que disseminam não só a produção acadêmica da Fiocruz, mas também de demais estudos de importância e impacto para a saúde em âmbitos nacional e internacional.

A Editora Fiocruz já conta também com cerca de 370 e-books disponíveis na biblioteca on-line SciELO Livros, sendo que, atualmente, mais de 220 estão em acesso livre para download gratuito. Os demais títulos estão disponíveis para aquisição com média de 40% de desconto em relação aos valores dos exemplares impressos.

Acesse o catálogo completo da Editora Fiocruz.

Livro | Covid-19: desafios para a organização e repercussões nos sistemas e serviços de saúde
Coedição Observatório Covid-19 Fiocruz e Editora Fiocruz
Organizadoras: Margareth Crisóstomo Portela, Lenice Gnocchi da Costa Reis e Sheyla Maria Lemos Lima
Primeira edição: 2022
472 páginas
E-book gratuito
Onde acessar: SciELO Books







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.