Atenção

Fechar

Seguros

CNseg finaliza primeiro ranking anual do setor segurador

Dados estão no portal da Confederação Nacional das Seguradoras

Da CNseg

Rio de Janeiro, 24 de fevereiro de 2022 - O primeiro ranking anual do setor de seguros publicado pela CNseg está disponível em seu portal e apresenta o desempenho das empresas e grupos econômicos em 2021, ano de alta nas vendas de 11,9% (R$ 306,4 bilhões, sem Saúde e DPVAT) sobre o de 2020.

O ranking utiliza dois critérios para o posicionamento das companhias: por grupo econômico ou empresa, no caso das independentes, e por empresas dentro dos segmentos e das principais famílias de produto, seguindo os agrupamentos que constam nas iniciativas da CNseg. O ranking também possui a visão com dados acumulados até o mês de referência e em 12 meses móveis. Além disso, o chamado prêmio direto é que vale para fins da aferição (ou contribuições para previdência; faturamento para capitalização e contraprestação para saúde).

Em 2021, considerando os R$ 360,4 bilhões (sem Saúde e DPVAT), os cinco primeiros do ranking pelo conceito de grupo econômico foram BB Seguros (R$ 61,9 bilhões e 20,2% de market share); Bradesco (R$ 50,4 bilhões e 16,4%); Caixa Seguros (R$ 38,4 bilhões e 12,5%); Zurich (R$ 22,8 bilhões e 7,4%); e Itaú (R$ 17,5 bilhões e 5,7%)

O segmento de Danos e Responsabilidades (sem DPVAT) foi o que mais contribui para a expansão setorial no ano, com alta de 14,6% e prêmios da ordem de R$ 89,8 bilhões. Os cinco maiores grupos econômicos neste segmento foram, por ordem de volume de arrecadação e percentual de participação: Porto Seguro (R$ 13,7 bi e 15,3%); Mapfre (R$ 7,3 bi e 8,1%); Tokio Marine (R$ 6,8 bi e 7,6%; Allianz (R$ 6,8 bi e 7,6%); e BB Seguros (R$ 6,4 bi e 7,1%).

O segmento de pessoas (Vida e Previdência) cresceu um pouco menos, 11,5%, com prêmios e contribuições somados superiores a R$ 192,3 bilhões. Também pelo critério de grupo econômico, os cinco primeiros do ranking foram BB Seguros (R$ 51,2 bi e 26,7% de participação); Bradesco (R$ 38,6 bi e 20,1%); Caixa Seguros (R$ 37 bi e 19,3%); Zurich (R$ 17,8 bi e 9,3%); e Itaú (R$ 13,6 bi e 7,1).

Em Capitalização, a alta no ano foi de 5,9%, e o faturamento, de R$ 24,3 bilhões. Os cinco maiores (grupo econômico) foram Bradesco (R$ 5,5 bi e 22,6%); BB Seguros (R$ 4,3 bi e 17,7%; Santander (R$ 3,8 bi e15,7%); Itaú (R$ 2,6 bi e 10,9%); Icatu (R$ 2,2 bi e 9,1%).

Em Saúde Suplementar, as maiores em 12 meses encerrados em setembro (último dado disponível na ANS) foram os seguintes grupos econômicos: Bradesco (R$ 30,7 bi e 12,8% de participação individual de mercado); SulAmérica (R$ 21,8 bi e 9,1%); Amil (R$ 19,9 bi e 8,3%); Notredame Intermédica (R$ 9,7 bi e 4,1%); e HapVida (R$ 6,9 bi e 2,9%)

Além do desempenho por segmento, que inclui a variação anual individual por grupo econômico, a CNseg divulga relatórios mensais com o comportamento de cada empresa/grupo em ramos e modalidades de seguros.

O ranking está disponível em ‘Análises e Estatísticas’, no menu de navegação do portal da CNseg.

Sobre a CNseg

A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) congrega as empresas que compõem o setor, reunidas em suas quatro Federações (FenSeg, FenaPrevi, FenaSaúde e FenaCap). A missão primordial da CNseg é contribuir para o desenvolvimento do sistema de seguros privados, representar suas associadas e disseminar a cultura do seguro, concorrendo para o progresso do País.







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.