Atenção

Fechar

Energia & Crédito Carbono

Luiz Pingueli Rosa defendia transparência da informação no setor nuclear

Artigo da jornalista Tãnia Malheiros, especializada no tema, que entrevistou um sem-número de vezes e acompanhou por muitos anos a trajetória do Professor

Por Tania Malheiros, jornalista especializada no Setor Nuclear

O físico Luiz Pinguelli Rosa, que nos deixou nesta quinta-feira (3/3), aos 80 anos, sempre defendeu a transparência da informação no setor nuclear. No final da década de 80, quando a imprensa teve acesso à solenidade de inauguração do Centro Experimental Aramar, em Iperó, São Paulo, onde o Brasil dominou o ciclo do combustível, enriquecendo urânio, ele foi taxativo: “A abertura do centro aos jornalistas não significa a inexistência de perigo de acidentes nucleares”.

Na época, Pinguelli endossava a preocupação de alguns físicos com o fato de não ter a sociedade civil, “controle sequer sobre as atividades exercidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear”. Achava que o governo deveria divulgar mais as atividades de Aramar e de todo o setor. Segundo dizia, informação e transparência caminham juntos.

Pacifista, democrata, defendia a soberania nacional, a autossuficiência da energia nuclear no Brasil, para uso exclusivamente pacífico. A produção de armas nucleares, portanto, estava fora de cogitação. “O Brasil não deve se envolver com a construção da bomba atômica. No campo diplomático deveria militar pela eliminação das bombas no mundo”, afirmou.

A segurança da produção de petróleo, por conta da grande extensão da costa brasileira, preocupava Pinguelli Rosa, daí o Brasil deveria construir o primeiro submarino nuclear - prometido há décadas, que não aconteceu até hoje. “O Brasil deve construir o submarino de propulsão nuclear para a defesa de nossas plataformas de petróleo muito afastadas da costa”, comentou em 2018. Pinguelli Rosa foi um defensor da sociedade civil, do Brasil, do diálogo e da paz. Vai fazer muita falta.

Professor Pinguelli Rosa no lançamento do livro da jornalista Tãnia Malheiros - "Bomba atômica, pra quê?"







Veja também

0 comentários | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Ninguém comentou essa notícia ainda... Seja o primeiro a comentar!

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.