Atenção

Fechar

Destaques

Amazônia para sentir e se emocionar

Exposição de fotos de Sebastião Salgado, com curadoria de Lélia Wanick, fica em cartaz no Museu do Amanhã (RJ) até 29 de janeiro de 2023

Foto de Sebastião Salgado - Amazônia


Por Fernanda Cubiaco

Especial para Plurale

A exposição Amazônia, do consagrado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, chegou ao Museu do Amanhã (Boulevard Olímpico - RJ), onde ficará até janeiro de 2023, depois de passar pela Europa (Paris e Londres) e São Paulo. Como tem terças gratuitas, a exposição Amazônia, que demorou sete anos para ser concebida, dá a todos a oportunidade de ver, rever e de tomar um sacode daqueles.

Em sete anos de imersão, Sebastião e Lélia Wanick Salgado, com equipe, trabalharam para que 194 fotografias e também relatos, em vídeos, com testemunhos de lideranças indígenas sobre os problemas enfrentados atualmente por suas comunidades, retratassem a importância da Floresta Amazônica em pé. Segundo Lélia, curadora do evento, "Ao projetar 'Amazônia', quis criar um ambiente em que o visitante se sentisse dentro da floresta, se integrasse com sua exuberante vegetação e com o cotidiano das populações locais".

O ambiente expositivo, além do grande salão, apresenta ainda dois espaços com projeções de fotografias. Uma delas mostra paisagens florestais acompanhadas pelo poema sinfônico Erosão - Origem do Rio Amazonas, de Heitor Villa-Lobos (1887-1959); a outra traz uma sequência de retratos de índios, sonorizada por uma peça de Rodolfo Stroeter especialmente composta. E a trilha sonora com os sons das florestas ficou, a pedido de Sebastião Salgado, a cargo do instrumentista, compositor e produtor musical francês Jean-Michel Jarre. Imaginem, só! Creio que, como eu, vocês vão se emocionar e quem sabe também se engajar na defesa dos ecossistemas.

Foto de Sebastião Salgado 2019 - Rio Jaú - Estado do Amazonas - Exposição Amazônia

Pois bem, inaugurada na Europa e já tendo passado por São Paulo, Amazônia já foi vista por mais de 100 mil pessoas, mas tenho a impressão que só aqui no Rio de Janeiro vamos dobrar esse número. Esta é uma oportunidade linda que todos têm de mergulhar no coração da floresta e refletir sobre o futuro da biodiversidade e a urgente necessidade de proteção dos povos indígenas, assim como a preservação do ecossistema que é imprescindível para o planeta. Para Sebastião Salgado, "esta exposição tem o objetivo de alimentar o debate sobre o futuro da Floresta Amazônica. É algo que deve ser feito com a participação de todos no planeta e junto com as organizações indígenas".

Foto de Sebastião Salgado 2016 - Família Asháninka - Estado do Acre - Exposição Amazônia

Mas eu ainda não terminei....preciso ir um pouquinho além...

17 de Julho foi o Dia de Proteção às Florestas, criado com o objetivo conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação do local que abriga diversas espécies de fauna e flora para a qualidade de vida da humanidade.
No dia 19 de Julho, chega ao Museu do Amanhã a exposição Amazônia que retrata a riqueza da Floresta Amazônica, uma das maiores florestas do mundo, que cobre o Norte do Brasil e se estende a mais oito países sul-americanos, ocupando um terço do continente e 60% do território brasileiro.

Entre os dois dias acima, foi publicado pelo Mapbiomas, pelo terceiro ano consecutivo, o relatório de Desmatamento de 2021. O relatório analisa os alertas de desmatamento detectados no Brasil no ano de 2021 e que foram validados e refinados sobre imagens de satélite de alta resolução pelo MapBiomas Alerta.
Em 2021 foram identificados 69.796 alertas em todo o território nacional. O total de desmatamento foi de 16.557 km2 (1.655.782 ha), número que representa um aumento de 20% em relação a 2020. Os dados, do sistema MapBiomas Alerta, cruzam informações de cinco sistemas de detecção do desmatamento em tempo real por satélite e validam-nos com imagens de alta resolução com o auxílio de inteligência artificial. O cruzamento mostra que a quase totalidade dos alertas de desmate emitidos no ano passado têm um ou mais indícios de ilegalidade.
Para saber mais, acesse: https://mapbiomas.org/

SERVIÇO | Sebastião Salgado -- Amazônia

De 19 de julho a 29 de janeiro de 2023

Museu do Amanhã (Praça Mauá, 1 -- Centro, Rio de Janeiro)

Terça a domingo, das 10h às 18h

Livre

Ingressos: inteira: R$ 30 e meia-entrada: R$ 15. Às terças-feiras a entrada no Museu do Amanhã é gratuita.







Veja também

1 comentário | Comente

 Digite seu comentário

*preenchimento obrigatório



Luiz |
Imperdivel! Cada foto como uma pintura quase surrealista, mas também poética. Que show!

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.